Queimada 728×90
Empresa foi inaugurada em julho de 2017 / Foto: Divulgação

O Ministério Público do Estado de Rondônia (MP) instaurou inquérito civil para apurar a possível omissão do Município de Cacoal e do Estado de Rondônia por ter permitido – por meio das Secretarias de Meio Ambiente e Planejamento e da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental-SEDAM – as licenças de construção do empreendimento Havan Loja de Departamentos Ltda em área não edificante (ou seja, em área onde não é permitido erguer edificações) no município de Cacoal.

Em dezembro de 2017, a promotora de Justiça, Valeria Giumelli Canestrini, curadora do Meio Ambiente, já havia instaurado procedimento preparatório para investigar o ato, o que foi prorrogado, sendo convertido em  inquérito civil a fim de apurar os fatos.

No inquérito nº 011-2019-1ª PJC, proferido em 12 de março, Canestrini considerou o parecer técnico nº 082/2018 no qual o Engenheiro Florestal e o Analista em Biologia concluíram que houve dano ambiental referente à construção em área não edificante.

Profissionais constataram dano ambiental /Foto: Divulgação

Foram enviados ofícios e pareceres técnicos ao secretário municipal de Meio Ambiente, Leandro Soares Chagas, para que se manifeste, inclusive sobre as providências a serem adotadas.

Inaugurada em 22 de julho de 2017, a Loja Havan foi construída na avenida Castelo Branco nº 15.706, no bairro Incra. A festa contou com a presença do empresário Luciano Hang, proprietário da rede de lojas.

>>> LEIA, ABAIXO, O INQUÉRITO NA ÍNTEGRA:

INQUERITO CACOAL HAVAN

 

 

saude 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO