Airton Gomes / Foto: Divulgação

O ex-prefeito Airton Gomes (PP), que renunciou ao cargo em 4 de fevereiro passado, foi notificado pelo Ministério Público (MP) para dar explicações referentes à obra de construção do teatro municipal, paralisado há vários meses e que iniciou em sua gestão.

O caso foi levado à tona pelo Extra de Rondônia em março passado, e os desdobramentos continuam (leia AQUI).

Em 02 de abril, o promotor de justiça Victor Ramalho Monfredinho determinou a notificação do ex-mandatário municipal para que, no prazo de 10 dias, apresente, por escrito, esclarecimentos sobre o motivo pelo qual se deu o primeiro atraso no processo relativo à contratação do teatro municipal, esclarecendo eventual hipótese de necessidade de inserção de dados para o convênio junto ao Ministério do Turismo.

Também, o promotor determinou que Gomes apresente maiores esclarecimentos sobre a quem competia a responsabilidade pelo andamento correto e lançamento das informações na Prefeitura Municipal, bem como se tomou alguma providência à época para evitar o atraso na obra e prejuízo aos cofres públicos.

INQUÉRITO

Monfredinho  instaurou inquérito civil para apurar eventual ato de improbidade administrativa através de suposta malversação de recursos públicos numa obra milionária que deveria ser concluída em junho de 2016.

No valor de R$ 1.039.181,31, a obra atualmente está paralisada, sem previsão do término dos trabalhos e sob responsabilidade de construtora João de Barro Ltda.

 

Mercado Paulista

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO