Pombo da espécie Columba Livia / Foto: Divulgação

O Ministério Público do Estado de Rondônia (MP), por meio da Promotoria de Justiça de Vilhena (Curadoria da Saúde), instaurou inquérito civil público para acompanhar e fiscalizar a implementação de medidas que sanem os problemas relacionados à proliferação de aves no município de Vilhena, em sua maioria pombos da espécie Columba Livia e andorinhas da família Hirunidinidade.

Este animais são nocivos ao ser humano, podendo causar problemas à saúde pública, assim como também obter informações acerca das providências adotadas pela municipalidade.

O inquérito foi instaurado pelo Promotor de Justiça Paulo Fernando Lermen a partir de reclamação registrada na Ouvidoria do MPRO em relação a proliferação de pombos e andorinhas na cidade.

Algumas medidas para controle das aves foram adotadas pelo município, após reunião realizada pela Promotoria de Vilhena, a exemplo da elaboração de um projeto-piloto utilizando a falcoaria para controle da fauna sinantrópica nociva à saúde pública, nas escolas municipais e postos de saúde da área rural do município.

A Promotoria de Vilhena considera, no entanto, que é imprescindível a execução de novas diligências, para insistir na necessidade do município executar a totalidade do projeto-piloto de Manejo de Fauna Sinantrópica Nociva com o uso de aves de rapina, bem como o emprego de uma política municipal de prevenção à proliferação de aves, já que a melhor forma de proliferação das zoonoses em populações animais silvestres consiste em planejar, coordenar, executar e avaliar as ações de controle e diagnóstico, além de uma série de outras medidas.

EXTRA ALERTOU

Em 30 de maio passado, o Extra de Rondônia levou o caso à tona através de reportagem feita na escola municipal Prof. Aparecida da Silva. Pais denunciaram a proliferação de pombos na unidade educativa (leia AQUI).


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO