Sessão extraordinária desta terça-feira, 23 / Foto: Extra de Rondônia

Os projetos de números 5.690/2019, 5.691/2019, 5.692/2019 e 5.693/2019, que pedem a retirada do nome da família “Donadon” de quatro escolas públicas municipais de Vilhena apenas foram lidos na sessão extraordinária realizada na manhã desta terça-feira, 23, na sala da presidência da Casa de Leis (leia AQUI).

Não houve discussões, o que deve acontecer na primeira sessão ordinária do segundo semestre após o recesso parlamentar previsto para 6 de agosto.

Conforme os projetos enviados ao Legislativo pelo prefeito Eduardo Japonês (PV), a escola “Dalila Donadon” passará a ser denominada “Tarsila do Amaral”; a escola “Marcos Donadon” passará a ser “Ruth Rocha”; a escola “Angelo Mariano Donadon” será “Cleonice Batista de Jesus”; e a escola “Antônio Donadon” passará a ser “Monteiro Lobato”.

A reportagem do Extra de Rondônia entrevistou alguns parlamentares para saber a opinião a respeito dos projetos.

O vereador Carlos Suchi (Podemos) é contrário aos projetos e acredita que os nomes atuais das escolas têm que permanecer. “Temos projetos mais importantes a serem analisados no Legislativo, como assuntos voltados a saúde, infraestrutura, que votar retirada de nome. Isto vai provocar um transtorno muito grande na classe estudantil. Essa mudança, de forma brusca, não é legal para a comunidade. Porém, se retirarem os nomes, as pessoas, de qualquer forma, identificarão as escolas pelo nome que tem hoje”, salientou.

Ele, contudo, questionou o fato de outras unidades educativas e prédios públicos tenham nomes até de familiares de políticos que exerceram cargos na prefeitura de Vilhena, como é o caso da escola municipal Luiz Eduardo Silva Rover, inaugurada em agosto de 2018 no bairro Cristo Rei, em homenagem ao filho do ex-prefeito José Rover, que faleceu vítima de latrocínio. “Se mantivermos o mesmo raciocínio, o nome dessa escola também deve ser alterada”, analisou.

Já as vereadoras Vera da Farmácia (MDB) e Valdete Savaris (PPS) são contrárias, em parte, aos projetos. Elas são favoráveis a que permaneça o nome da professora Dalila Donadon em função do trabalho que ela fez em favor do setor educacional. “Ela é merecedora dessa homenagem devido à sua história na busca por melhores condições para os professores de Vilhena”, disse Vera.

“Vamos brigar para manter o nome de Dalila porque ela tem uma história na educação e isto precisa ser respeitado”, avaliou Valdete.

A vereadora, por outro lado, também questionou o fato do filho do ex-prefeito ter seu nome numa escola. “Estes projetos têm ser amplamente debatidos entre os vereadores. Digo isto com todo respeito: qual é a justificativa para homenagear o filho do ex-prefeito Rover, uma pessoa que nunca fez parte da educação?”, observou.

Um dos projetos solicita a alteração do nome escola “Dalila Donadon” por “Tarsila do Amaral” / Foto: Extra de Rondônia

O CASO

O episódio é antigo e a ação tramita na justiça desde 2008. Porém, uma liminar do Tribunal de Justiça de Rondônia, proferida em janeiro de 2014, determinou que quatro escolas públicas de Vilhena, que levam o nome de integrantes da família “Donadon”, retirem as placas com a identificação das instituições da fachada (leia AQUI).

Embora a decisão do Poder Judiciário ainda não tenha transitado em julgado, em março deste ano o Ministério Público recomendou ao prefeito a alteração dos nomes, sob pena de crime de desobediência e novo ato de improbidade administrativa, por persistir na conduta ímproba.


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO