Esse é o Plano – 728×90
Único semáforo de Cerejeiras continua gerando polêmica / Foto: Extra de Rondônia

O engenheiro de tráfego Wilson Silva, representante da empresa Sinaluz – Sinalização Viária e Serviços Ltda-ME, que executou os serviços de reparos do único semáforo de Cerejeiras, rebateu as declarações do vereador Valdecir Sapata Jordão (PSB), que apresentou requerimento direcionado à prefeitura para obter informações a respeito dos supostos defeitos que apresenta o aparelho.

No início da semana, o parlamentar disse ao Extra de Rondônia o que o semáforo, após passar pelo conserto, já apresentou 12 paralisações (leia AQUI).

Em contato com o site, Wilson disse que o aparelho, desde que foi consertado, não apresentou nenhum defeito.

“Por ser um equipamento antigo, o que fazemos é o serviço de manutenção periódica. Pode ser que haja a necessidade de uma reprogramação, mas não há defeitos. Inclusive, fizemos a instalação de um nobreak e atua por 1 hora para estabilizar a energia. Nosso trabalho é feito com alta tecnologia. A cada 10 ou 15 dias fazemos um ajuste. E isso continuará pelo período de um ano, prazo da garantia estipulada em contrato com a prefeitura com peças e serviços”, garante.

Com relação ao valor de R$ 66,5 mil que a empresa recebeu da prefeitura, o engenheiro explica que R$ 50 mil foram para aquisição de peças e os outros R$ 16,5 mil para serviços. Salientou, porém, que informações solicitadas em requerimento pelo parlamentar já foram encaminhadas à prefeitura e à Câmara de Vereadores de Cerejeiras.

“A Sinaluz é uma empresa que trabalha há mais de 10 anos nesta área em todo o Estado de Rondônia e temos técnicos e engenheiros qualificados. Estamos à disposição para eventuais esclarecimentos à sociedade”, encerrou.

 

 

 

 

Fhemeron 468x60px
Esse é o Plano – 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO