aftosa 728×90
José Carlos Valendorff (MDB) / Foto: Divulgação

O vereador José Carlos Valendorff (MDB) ocupou a tribuna da Casa de Leis de Cerejeiras na noite da última segunda-feira, 16, durante a sessão ordinária, para se manifestar a respeito da investigação do Ministério Público (MP) contra ele e seu colega de parlamento, Isair Francisco Balsin, devido a suposta improbidade administrativa por incompatibilidade de horários.

José Carlos e Isair Francisco são, além de vereadores, servidores públicos efetivos nesse município, nas funções de professor e atendente de enfermagem, respectivamente (leia mais AQUI).

Ao comentar a matéria publicada no Extra de Rondônia, Valendorff se defendeu, negou que esteja cometendo algum tipo de crime e acredita se tratar de perseguição, dizendo que a denúncia que resultou na investigação deve-se a opositores políticos.

Ele citou o artigo 31 da Constituição Federal que expressa que “investido no mandato de vereador, havendo compatibilidade de horário, perceberá as vantagens do seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo antigo”.

Informou que atualmente está lotado na Secretaria Municipal de Educação (Semed) e cumpre seu horário rigorosamente, das 07h às 13h.

“Estou cumprindo minha carga horária na prefeitura. Na Câmara, nossos compromissos são nas sessões, nas comissão e em campo. Não há incompatibilidade. Tem pessoas que se doem, ficam com raiva, obsessão e ciúmes com o ser humano, de quem é honesto e faz as coisas corretas. E fico impressionado com a pessoa que fez essa denúncia. Mas não tenho medo nenhum dessa investigação e verá que minhas informações estão corretas. O promotor está cumprindo com o papel dele”, salientou.

Inquérito instaurado semana passada pelo Ministério Público / Foto: Extra de Rondônia

Por outro lado, o parlamentar teceu críticas aos usuários de um grupo de WhatsApp da cidade chamando-os de “desocupados”. “E nas redes sociais, poderia usar adjetivos bem pejorativos a essas pessoas. Em Cerejeiras, tem um grupinho de pessoas que não trabalha, são desocupados. A pessoa a cada dois minutos está comentando. Deveria vir à sessão antes de fazer comentários. Um deles chegou a falar em cadeia”, disse, se referindo a comentários sobre o inquérito.

No final do seu discurso, Valendorff disse que apresentará documentos para esclarecer os questionamentos. “Não tenho dúvida que a partir da notificado pelo MP, vou apresentar minha versão; tenho minhas folhas ponto, e esclarecerei tudo isto”, concluiu.

 

 

aftosa 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO