Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro anunciou a saída do PSL (Partido Social Liberal), com isso ele se torna o primeiro presidente no exercício do mandato sem legenda desde a redemocratização.  As informações de que deixaria o partido nesta terça-feira (12) já circulam

desde ontem em Brasília, quando ele marcou uma reunião com parte da bancada da Câmara, no Palácio do Planalto, para discutir o tema.

O presidente planeja fundar outro partido, o Aliança pelo Brasil, conforme antecipou o R7 Planalto. A ideia é conseguir validar assinaturas eletrônicas que permitam a fundação da legenda até março do ano que vem, a tempo de disputar as Eleições municipais.

Além do presidente, o novo partido irá abrigar os filhos e aliados. Bolsonaro está rompido com o presidente do PSL, Luciano Bivar, e com parte da bancada, incluindo a deputada Joice Hasselmann (SP).

Bolsonaro se filiou ao PSL, partido fundado por Bivar ainda na década de 90, em 7 de março de 2018 para disputar as eleições presidenciais. A presença dele fez do partido nanico o segundo com mais cadeiras da Câmara, atrás apenas do PT (Partido dos Trabalhadores). A saída de Bolsonaro deve causar uma debandada no PSL, que pode se fundir com outra legenda alterando a dinâmica de forças dentro do Congresso Nacional.

Em duas décadas de carreira política, Bolsonaro passou por oito partidos: PDC, PPR, PPB, PTB, PFL, PP, PSC e PSL.


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO