Coluna Cego, Surdo e Mudo / Foto: ilustrativa

@@@ GREVE INDETERMINADA

Em Vilhena, quase quatro anos depois, o prefeito Eduardo Japonês (PV) consegue trazer de volta ao cenário um panorama bastante prejudicial para quem pretende disputar uma eleição daqui a dez meses: a partir de segunda-feira, o funcionalismo municipal entre em greve por tempo indeterminado.

@@@ CEDEU ÀS REIVINDICAÇÕES

O último prefeito que conseguiu azedar a relação com os servidores com tamanha “competência” havia sido Zé Rover, que em março de 2.016 enfrentou situação do gênero, e acabou tendo que ceder, pelo menos em parte, às reivindicações dos funcionários, que sustentaram o movimento por apenas seis dias até o Executivo “arregar”.

@@@ TÔ NEM AÍ

Agora é ver por quanto tempo o Japa mantém a postura manifestada à reportagem do Extra de Rondônia na sexta-feira feira, 29, com relação ao movimento (leia AQUI), ocasião em que só faltou cantar aquela musiquinha chata da cantora Luka, cujo refrão era: “tô nem aí, tô nem aí”.

@@@ QUEDA DE BRAÇO

E dado o posicionamento das partes, o desfecho desta ação, por enquanto, é impossível ser avaliado. De um lado, está o prefeito que diz que não tomará iniciativa de abrir negociações e não tem proposta alguma a apresentar aos servidores, enquanto que do outro está o Sindsul que garante só parar a greve quando o Plano de Cargos, Carreiras e Salários estiver em vigor.

@@@ BOM SENSO

No meio, a população de Vilhena, que sofrerá o impacto da paralisação em dois setores vitais da administração: saúde e obras. A comunidade espera que o bom senso prevaleça de ambos os lados e que a situação seja resolvida com o mínimo de prejuízo ao povo.

@@@ RECADO

Agora, o que se pode avaliar dizer neste momento é que todo prefeito que se contrapôs ao funcionalismo acabou levando chumbo na eleição subsequente ao caso, portanto o confronto de agora deverá ter peso na sucessão municipal. Presta atenção, Japonês!

@@@ PTB PODE SURPREENDER

Na miúda, sem fazer alarde, o PTB vilhenense vai se articulando para as eleições do próximo ano, fortalecendo sua nominata ao Legislativo, com os pré-candidatos se apresentando à lideranças comunitárias e fortalecendo laços com o eleitorado. O partido tem potencial para surpreender nas urnas, conquistando cadeiras no Legislativo e fazendo a diferença na eleição majoritária.

@@@ ENERGISA “SUJA” EM VÁRIOS ESTADOS

Para quem acha que a Energisa está em pé de guerra apenas com os consumidores de Rondônia, é bom informar que a empresa enfrenta CPIs instauradas por assembleia legislativas em outros três Estados: Acre, Paraíba e Mato Grosso. Os mesmos problemas que acontecem por aqui também vem sendo comuns por aquelas bandas. Ou seja, parece ser uma questão de política empresarial da companhia o destrato ao cidadão.

@@@ BRASÍLIA

Quatro vereadores de Vilhena usaram diárias para ir a Brasília no início desta semana. A justificativa, de novo: conseguir recursos para o município. Esperamos que França Silva, Adilson de Oliveira, Samir Ali e Carlos Suchi façam um breve relato do que conseguiram em benefícios, de fato, na capital federal, na próxima sessão ordinária da Câmara de Vilhena. Vamos cobrar!

@@@ AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

Como a coluna de hoje foi aberta com tema relacionado ao funcionalismo municipal, o mesmo assunto vai encerrar esta edição: você sabia que o auxílio-alimentação dos funcionários da prefeitura de Vilhena é inferior ao pago pela administração de Chupinguaia, corresponde a metade do que Cerejeiras repassa aos trabalhadores do Município e que a partir de janeiro será 3/4 do que a Câmara paga aos colaboradores da Casa de Leis? Pois é, prefeito Eduardo Japonês, fica ligado!