Estamos em guerra 728×90

 

Foto: Acervo Extra de Rondônia

Na noite desta sexta-feira, 3, a Secretaria Municipal de Saúde de Colorado do Oeste, enviou a redação do Extra de Rondônia, nota explicando o impasse ocorrido na última quarta-feira, 1, quando uma ambulância do município transportando uma paciente com covid-19, foi parar na delegacia, onde a equipe médica que acompanhava a paciente decidiu registar um boletim de ocorrência por omissão de socorro contra o Hospital Regional de Vilhena (HRV).

Porém, quando estava sendo registrada a ocorrência, a equipe recebeu ligação do diretor do HRV – pedindo para que retornassem ao hospital, pois iriam resolver a questão. Relembre o caso (AQUI).

>>>>Leia nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A paciente A.M.G. deu entrada nesta unidade hospital de colorado do oeste no dia 01 de julho de 2020, por volta de 07h30min referindo dor em região lombar, após alguns minutos em observação a mesma evoluiu com piora do quadro clinico, foi então que os médicos plantonistas do hospital de colorado decidiram que a paciente precisaria de uma UTI, entraram em contato via telefone com a medica da UTI de Vilhena, que aceitaram a paciente com a condição de realizar exames laboratoriais e tomografia de pulmão, e que após resultado sugestivo de pneumonia causada por COVID 19 decidiram que a mesma não permaneceria em Vilhena deveria tentar uma nova regulação via CRUE seguir para Cacoal.

Após tentativa de encaminhamento para o hospital de Cacoal foram informados que não havia vaga e a paciente deveria permanecer no hospital de Vilhena, foi quando a direção do hospital de Vilhena se recusou a aceitar a internação da mesma. Deixando a mesma por quase 6 horas na ambulância em frente ao hospital HRV correndo risco de morte. A paciente só pode entra no hospital após terminar o estoque de oxigênio da ambulância.

Mediante situação a equipe medica de colorado que estava acompanhando a paciente se dirigiu ate a delegacia de policia para registrar B.O e solicitar ajuda aonde a autoridade policial “delegado de policia do município de Vilhena” foi ate o hospital na tentativa de solucionar o problema, e mesmo assim a direção  nada fez e continuou a recusar a internação afrontando um pedido da autoridade local, tendo assim total desprezo pela vida da paciente que estava em risco de morte.

Mesmo sabendo que a paciente necessitava de cuidados intensivos e com leitos disponíveis nada fizeram para ajudar a mesma, alegando que os leitos de UTI foram montados com recuso próprio do município, portanto não iria atender os municípios vizinhos.

Após muito diálogo entre a equipe, gestores e promotores, aceitaram a paciente com a condição que a equipe (médico e enfermeiro) permanecesse no hospital e cuidasse da paciente, relatando que não dispõe de “mão-de-obra”. Sendo assim após todo transtorno a paciente ficou aguardando vaga no HRV sendo contratados médico e enfermeiro exclusivo para a mesma e pagos pelo munícipio de Colorado do Oeste. No dia 03 de julho 2020, foi realizado nova tomografia onde a mesma apresenta quadro de melhora retornou para município de Colorado do Oeste, aonde a mesma encontra-se internada agudando vaga em Cacoal ou Ji-Paraná.

As 17h41min do dia 03 de julho foi liberado uma vaga no CEMETRON em Porto Velho, aonde a mesma esta sendo transferida acompanhada com equipe medica.

Estamos em guerra 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO