Luís Alberto Valdez/Foto: Reprodução Rede Social

O corpo do médico vilhenense e endrocrinologista Luís Alberto Valdez, de 67 anos, que morreu na manhã desta terça-feira, 11, vítima da Covid-19, no Hospital São Matheus de Cuiabá (MT), será cremado.

A informação foi repassada ao Extra de Rondônia pela família, que explicou que devido a pandemia, em alguns Estados não é permitido o translado do corpo de quem morre com coronavírus. Com isso, a família decidiu que o corpo será cremado.

Doutor Valdez como era conhecido, foi infectado durante seu trabalho no Hospital Regional de Vilhena, transferido para Cuiabá, ficou cerca de 15 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), não resistindo, morreu nesta manhã. Leia (AQUI).

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO