Presídio na capital de Rondônia / Foto: ilustrativa

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, deputado estadual Anderson Pereira (PROS), repudia veemente a atitude da Secretaria do Estado de Justiça (SEJUS), que autorizou através do memorando 18/2020/SEJUS-NUALI, o fornecimento de frutas para apenados que cumprem medidas restritivas de liberdade nas penitenciárias da capital.

Para o parlamentar, que é policial penal e já foi diretor de unidade na capital e interior, esse tipo de “mordomia” pode causar transtorno dentro das cadeias devido a apenados usarem frutas para confeccionarem bebidas alcoólicas, conhecidas como “Maria Louca”, colocando em risco a vida de servidores e colegas de cela com possível embriaguez.

O parlamentar ressalta que no período de pandemia, muitas famílias se quer tem o básico de alimentação para colocarem em suas mesas, porém, observa que o governo está mais preocupado com o bem estar de presos que cometeram diversos delitos, muitos deles tirando a vida de pais de família que nem tiveram a chance de se defenderem, além de colocar diariamente em risco a sociedade.

Anderson espera que a SEJUS volte atrás, revogue a decisão para não comprometer o bom andamento dos serviços nas penitenciárias da capital, bem como a preservação da lei e da ordem.

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO