Presidente da Câmara de Guajará-Mirim, Sérgio Bouez / Foto: Divulgação

Através de live divulgada via Facebook na tarde desta quarta-feira, 26, o presidente da Câmara de Guajará-Mirim, Sérgio Bouez, fez um apelo às autoridades políticas estaduais, federais e à própria população para “comprar briga” pela construção da tão sonhada e prometida ponte binacional que unirá esse município à Bolívia.

A declaração aconteceu após um vídeo em que um jornalista de Rondônia disse ao presidente Jair Bolsonaro que um grupo de empresários se reuniu e “concordou” de construir a ponte no município de Costa Marques e não mais em Guajará-Mirim.

O comunicador disse que senadores e deputados federais teriam conhecimento da obra, mas foi desmentido pelo coordenador da bancada, o deputado federal Lúcio Mosquini em entrevista exclusiva ao Extra de Rondônia (veja o vídeo AQUI).

Contudo, Sérgio Bouez disse que a ponte é obrigação do governo brasileiro com a Bolívia pelos critérios de contratos e protocolos mantidos quase que há um século entre os dois países desde o Tratado de Petrópolis e mandou ofícios aos representantes da bancada federal.

Ele disse que a obra, quando concluída, se tornará em gerador de emprego, renda e comércio, além de ser importante corredor comercial unindo os países andinos e o Brasil, com foco na exportação de produtos pelo Oceano Atlântico.

“Porque alguns empresários querem levar a ponte para Costa Marques?”, questiona.

 

>>> CONFIRA A LIVE ABAIXO:

URGENTE!Somos a favor da ponte Binacional em Guajará-Mirim.#PonteGuajara #TenhamCompromisso

Publicado por Sérgio Bouez em Quarta-feira, 26 de agosto de 2020

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO