Estamos em guerra 728×90

 

Foto: Reprodução

A Polícia Militar (PM) explica que em relação a reintegração de posse dos lotes 75 e 85 da antiga fazenda Vilhena, e sobre diversas informações desencontradas, relata que em cumprimento da ordem judicial, as famílias foram comunicadas com dez dias de antecedência ao cumprimento da ordem, com isso, foi realizada reunião com representantes do Ministério Público, Poder Judiciário, Secretaria de Assistência Social, Conselho Tutelar e advogados das partes que ficaram cientes da data em que a decisão seria cumprida, bem como informaram aos ocupantes da área que a reintegração iria acontecer.

No dia da reintegração apenas 5 famílias estavam no local. Foi providenciado caminhões e trabalhadores braçais para realizar o transporte de bens pessoais, além de ônibus para transporte humanizado de pessoas que porventura estivessem na área.

No local, os órgãos públicos se depararam com edificações construídas com madeiras provenientes de crime ambiental, ou seja, desmatamento ilegal.

Órgãos competentes fizeram estudo de situação e constataram que as famílias cientificadas da reintegração possuem propriedades na área urbana de Vilhena e região, não sendo verdadeira a afirmação que famílias teriam sido deixadas na rua. Esses estudos continuarão sendo feitos para evitar situações de vulnerabilidade social e constatar bens e posses de ocupantes de áreas em litígio.

Estamos em guerra 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO