Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Estamos em guerra 468×60

 

Foto: Divulgação

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira, 20, a segunda fase da operação Quinto, no intuito de cumprir três mandados de busca e apreensão e três prisão preventiva, todos expedidos pela 3ª Vara Federal da Seção Judiciária em Rondônia.

Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Rondônia e Minas Gerais, nas cidades de Ariquemes/RO e Igarapé/MG.

As investigações foram iniciadas em fevereiro de 2019 com a finalidade de identificar a participação dos integrantes da organização criminosa sediada na região de Ariquemes/RO, com uma estrutura hierárquica bem definida, que tinha como principal atividade a prática do tráfico de drogas oriundas da Bolívia e Peru, para remessa a outros Estados da Federação.

Durante as investigações da operação Quinto, constatou-se que os integrantes do grupo criminoso, estabelecido em Rondônia, atuavam recebendo drogas de fornecedores estrangeiros e transportavam o entorpecente para os centros consumidores, escondido em caminhões e automóveis.

Com os dados coletados, foi possível interceptar três remessas de cloridrato de cocaína da Orcrim, totalizando cerca de 230 quilos de substâncias ilícitas apreendidas, em flagrantes realizados em Bom Despacho/MG (137 Kg), Senador Guiomar/AC (42 Kg) e em “Quatro Bocas”, região de Rio Branco/AC (50kg).

Após a deflagração da primeira fase, com a continuidade da investigação, contatou-se que o grupo criminoso permaneceu atuando ativamente no tráfico de drogas, resultando na deflagração desta segunda fase.

O nome da operação faz referência ao “quinto trabalho de Hércules”, no qual o herói grego desviou o curso do rio Alfeu para lavar os estábulos do Rei Aúgias, em referência ao objetivo da PF em reprimir, de forma contundente, o tráfico de drogas na cidade de Ariquemes/RO.

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO