covid – 768×90-2

 

Fotos: Divulgação

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira, 26, a segunda fase da operação “Quinta Roda”.

Foram expedidos mandados judiciais de busca e apreensão, prisão preventiva, sequestro de bens, dentre outras cautelares constritivas.

Os mandados judiciais foram proferidos no interesse de investigação policial de repressão ao tráfico de drogas interestadual especialmente entre os Estados de Rondônia, Minas Gerais e Espírito Santo.

Esta segunda fase buscou principalmente atacar o patrimônio ilicitamente constituído pela organização criminosa.

A investigação teve início em abril do corrente ano, com deflagração da primeira fase em outubro último, e foi coordenada pela Delegacia de Polícia Federal de Ji-Paraná/RO, contando com esforços integrados da Polícia Rodoviária Federal desta cidade e do Ministério Público do Estado de Rondônia – Promotoria de Justiça de Pimenta Bueno/RO. Para a deflagração e cumprimento das buscas, valeu-se ainda do apoio do Canil da Polícia Militar de Ji-Paraná/RO.

Com a deflagração da segunda fase da operação “Quinta Roda”, foi determinado o bloqueio de mais de R$ 36 milhões em diversas naturezas de bens.

A PF informa ainda que, além do tráfico de drogas, são objetos da investigação os crimes de posse e porte ilegal de arma de fogo, lavagem de capitais, constituição de organização criminosa e falsidade ideológica.

O nome dado à operação é uma referência ao pino de união do cavalo trator com o semirreboque da carreta – conhecido como “Quinta Roda” –, cujo compartimento era um dos empregados pelo grupo para o transporte da droga.

Com a maioria dos mandados tendo sido cumpridos em Ji-Paraná, inclusive o sequestro de fazendas e ativos, os procedimentos foram formalizados na Delegacia de Polícia Federal nesta localidade.

 

covid – 768×90-1

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO