Prefeito Eduardo Japonês / Foto: Divulgação

A Justiça Eleitoral intimou o prefeito Eduardo Japonês (PV), para explicar algumas irregularidades detectadas em sua prestação de contas da campanha eleitoral de 2020, onde foi reeleito ao cargo no município de Vilhena.

A análise, assinada pelo analista técnico Renato Furlan em 03 de janeiro deste ano, constatou irregularidade em doação recebida por beneficiário de auxílio emergencial no valor R$ 8 mil, o que, segundo a Justiça, pode indicar ausência de capacidade econômica para fazer a tal doação.

“Mediante a integração do módulo de análise do SPCE e da base de dados CADÚNICO, realizado em 21/12/2020, foi identificado o recebimento DIRETO de doação financeira realizada por pessoa física inscrita em programas sociais do governo, o que pode indicar ausência de capacidade econômica para fazer a doação. Além disso, referente a mesma doação, também por integração do módulo de análise do SPCE e da base de dados MACIÇA/CNIS/RAIS, realizado em 21/12/2020, foi identificado que a pessoa física doadora possui renda formal incompatível com a doação realizada, o que pode indicar ausência de capacidade econômica para realizar a doação”, explica o relatório.

Outra irregularidade detecta é com relação ao indicativo de omissão dos gastos de campanha com o Facebook nos valores de R$ 2.432,05 e R$ 2.589,92.

“Na prestação de contas do candidato existe o registro de apenas uma despesa com o Facebook, acobertadas por boleto, no valor de R$ 5.000,00, paga em 15/10/2020. Por não existir correspondência entre os valores pagos e os discriminados nas notas fiscais necessário se faz a justificativa da ocorrência descrita”, pontua a análise técnica.

A reportagem do Extra de Rondônia tentou ouvir e enviou mensagem à assessoria do prefeito, mas não se manifestou até a publicação da matéria.

Análise técnica apontou irregularidades na prestação de contas de campanha / Foto: Divulgação

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO