covid19 – 728×90-2

 

Foto: Ilustrativa

Visitou a redação do Extra de Rondônia na tarde de sexta-feira 19, o representante da Agência Emídia Ivan Mendes para falar sobre o funcionamento do sistema de monitoramento e segurança que faz parte do projeto Camerite Vilhena e que em breve será instalado na cidade como teste.

De acordo com Mendes, a torre do sistema é montada em pontos estratégicos da cidade como rotatórias, entradas e saídas, estacionamentos, e funciona através de parcerias com a prefeitura ou comércio local. O sistema é equipado com quatro câmeras, sendo duas em alta definição, uma para realizar a leitura de placas veiculares e outra de reconhecimento facial.

A torre fixada com as câmeras é autossustentável, ou seja, tem o suporte para sua própria energia, e possui armazenamento na nuvem podendo ser acessado através do aplicativo de segurança.

“Nos próximos dias Vilhena terá uma torre para amostra. Pretendemos colaborar com a segurança pública. Nossa intenção é manter as pessoas seguras até fora de casa”, ressaltou ele.

O representante explicou que em casos de roubos, a polícia poderá inserir dados de identificação e o sistema fará a busca traçando a rota de fuga, isso, graças ao acesso das câmeras que fazem o rastreio de placas. “A cidade de Palotina no Paraná serviu como vitrine da empresa, e após adotar o sistema de segurança observamos uma grande redução nos números de criminalidade”, detalhou.

VALORES

Mendes narra que os valores são acessíveis podendo ter um custo a partir de R$ 19,90 para monitoramento da rua, além de possuir pacotes mais abrangentes, no caso dos colaborativos, que é dividido entre a vizinhança e garante toda a segurança do bairro.

O processo de contratação funciona da seguinte forma, a empresa vai até o bairro onde os vizinhos ou até mesmo prefeituras contratou o serviço e instala câmeras de alta definição a cada três casas, de forma que dê uma boa percepção de toda a rua. As imagens captadas são arquivadas e ficam disponíveis através do aplicativo, o app oferece ainda um botão de “pânico” para acionar o policiamento.

“Cada vez que o vizinho acionar o botão de pânico os outros serão notificados, inclusive a polícia, o sistema faz com que os vizinhos estejam conectados há um grupo de informações de segurança do bairro” detalhou ele.

sicoob credisul
covid19 – 728×90-1

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO