Vereadora Vivian Repessold / Foto: Divulgação

A Câmara de Vilhena recebeu, nesta segunda-feira, 1, denúncia que pede o afastamento imediato, formação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e cassação do mandato da vereadora Vivian Repessold.

A denúncia foi formalizada pelo auxiliar de produção Bruno Cesar Oliveira Silva, será lida e votada na sessão desta terça-feira, 2.

Conforme a denúncia, a vereadora praticou infrações político-administrativas graves, sujeitas à apuração e sanção pela Câmara, citando o que ficou conhecido como “Escândalo das Cestas Básicas”, o que resultou em inquérito administrativo instaurado pelo Ministério Público (leia mais AQUI e AQUI).

Na peça, o denunciante explica, na pré-campanha eleitoral, Vivian, que é servidora efetiva e era titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), requereu a exoneração do seu cargo para cumprir a desincompatibilização como a regra eleitoral exige, porém continuou naquela pasta com cargo gratificado que exige menor tempo de afastamento da função pública, o que lhe permitiu continuar a manter amplos poderes de influência no setor educacional.

O denunciante alega que Vivian cometeu ação assistencialista com nítido caráter eleitoreiro, cuja execução restou por ter enorme influência no pleito de 2020, gerando desigualdade de condições entre os candidatos à Câmara de Vereadores

Conforme a denúncia, a “manobra” eleitoral não passou desapercebida na Câmara e que, com as evidências, Willian Braga admitiu a entrega das cestas básicas para os beneficiários sempre em companhia da vereadora (leia mais AQUI).

Explica, ainda, que o número de cestas básicas distribuídas foi intensificado no período eleitoral, pois no início do programa, entre os meses de março e agosto de 2020, foram distribuídas 5.654 cestas e, no período eleitoral, entre agosto e novembro, o número subiu para 11.780, como se constata no endereço eletrônico oficial do Município de Vilhena.

“Como se constata, o fato não é inédito, porém teve repercussões com a eleição da vereadora, que, de forma espúria, detém hoje mandato viciado, dada a quebra da isonomia na disputa do pleito. Com o uso da máquina pública em favor de um projeto de poder político eleitoral, a vereadora, ora denunciada, foi beneficiada, desequilibrando o pleito e afrontando a moralidade. Bom destacar que o número de cestas básicas distribuídas foi intensificado no período eleitoral, pois no início do programa, entre os meses de março e agosto de 2020, foram distribuídas 5.654 cestas e, no período eleitoral, entre agosto e novembro, o número subiu para 11.780, como se constata no endereço eletrônico oficial do Município de Vilhena”, destaca a peça acusatória.

REDES SOCIAIS

Ainda, a denúncia afirma que a vereadora ainda se utiliza dos serviços de administradores e produtores de conteúdo das páginas nas redes sociais de dois servidores públicos lotados na Semed, que não constaram como despesas de campanha da mesma.

Anexou conclusão de trabalho investigativo realizado pelos vereadores Vilson Tabalipa, Ronildo Macedo, ambos do PV,  e Samir Ali (Podemos), que foi entregue ao prefeito Eduardo Japonês (PV).

>>> LEIA, ABAIXO, A DENÚNCIA NA ÍNTEGRA:

DENUNCIA A CAMARA CONTRA VIVIAN_compressed 3

 

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO