Local, no 5º BEC, em que funcionaria a Casa de Apoio / Foto: Divulgação

O Conselho Municipal de Saúde de Vilhena formalizou uma grave denúncia nos Ministérios Públicos Federal (MPF) e Estadual (MPE): suposta Casa de Apoio “fantasma” mantida pela prefeitura.

De acordo com o ofício, protocolado em 21 de fevereiro, relatório aponta há irregularidades na Casa de Apoio São Francisco de Assis.

No caso, a denúncia se baseia em informações da prefeitura junto ao Ministério da Saúde (MS), indicado endereço diferente do informado. Conforme os dados no MS, o local funcionaria na Rua Maceió, nº 5152, no bairro 5º BEC. Mas está em outro endereço: na avenida Liberdade, nº 4749, no centro de Vilhena.

O local, que atenderia gestantes e pessoas de vulnerabilidade social, não receberia pacientes deste novembro 2019. Inicialmente o endereço citado é uma casa no bairro 5º BEC, mas depois mudou para a avenida Liberdade.

Entrevistada pelo Extra de Rondônia, Maria Luiza Machado Ramos, presidente do CMS, disse que recebeu resposta do MPF, afirmando que o caso não é competência desse órgão federal, mas que ainda não recebeu resposta do MPE.

Disse, ainda, que os valores gastos estão dentro do custeio e investimento da média e alta complexidade. Semana passada, o próprio CMS requereu um “pente-fino” nos gastos da covid-19 de Vilhena (leia mais AQUI).

O OUTRO LADO

O Extra de Rondônia entrou em contato com a assessoria para ouvir a versão da prefeitura, mas não foi enviada nenhuma nota até a publicação desta matéria.

Parte do relatório do Conselho Municipal de Saúde / Foto: Divulgação
Dados cadastrados no Ministério da Saúde / Foto: Divulgação
sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO