Corá (MDB) e Kapiche (PSDB) / Foto: Extra de Rondônia

Novela sem fim, o polêmico caso das casas populares no conjunto habitacional “Cidade Verde” (leia mais AQUI) está colocando Executivo e Legislativo em rivalidade política no município de Cacoal. E até os próprios parlamentares começam a trocar farpas através das redes sociais.

Desta vez, o vereador Valdomiro Corá (MDB) rebateu as declarações do seu colega de parlamento, Edimar Kapiche (PSDB), 1º secretário da Mesa Diretora da Câmara. Para o emedebista, o tucano se posicionou por um novo sorteio para apoiar a manifestação do prefeito Adailton Fúria (PSD).

Nesta sexta-feira, 9, Kapiche disse ao Extra de Rondônia que é favorável que as 2.800 famílias que foram inscritas sejam consideradas aptas a participar da seletiva (leia mais AQUI).

Contudo, Corá, que foi presidente da Câmara no biênio 2019/2020, pensa diferente.

Em áudio enviado ao Extra de Rondônia neste sábado, 10, Corá argumentou. “Eu só vejo que, se fosse antes da eleição, Kapiche estava do lado do sorteio. Se fosse um parente dele, que tivesse ganhado uma casa, estava do lado do sorteio. Agora, é muito feio para um homem ficar puxando o saco de prefeito. Ele é a favor de um novo sorteio porque o prefeito quer fazer. O vereador tem que defender o povo que o elegeu. Não podemos culpar a população que foi contemplada com as casinhas. Se o prefeito quiser resolver esse problema, tem jeito. É só ele determinar ao advogado da prefeitura entrar com uma ação junto ao Poder Judiciário. Mas, quando não quer, não tem jeito. Agora, me admira muito o Kapiche vir com essas conversas sem pé e nem cabeça”, desabafou.

COMISSÃO

A Câmara instituiu uma comissão para apurar se houve falhas no procedimento, após o prefeito Adailton Fúria (PSD) anunciar que o processo de seleção e o sorteio não teve autorização do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e que o certame é nulo.

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO