Entrada na cidade de Pimenteiras do Oeste / Foto: Extra de Rondônia (arquivo)

O promotor de Justiça, Fábio Augusto Negreiros Parente Capela Sampaio, da comarca de Cerejeiras, instaurou ação penal contra quatro pessoas envolvidas num caso de apreensão de drogas ocorrido em fevereiro deste ano no município de Pimenteiras do Oeste, na região sul de Rondônia.

Entre os envolvidos na denúncia está o presidente da Câmara desse município, Rafael da Silva Souza, já que, conforme apontou o Boletim de Ocorrência, o veículo detido na ocasião saiu do sítio que seria do parlamentar (leia mais AQUI).

Naquela ocasião, entrevistado pelo Extra de Rondônia, Rafael afirmou que o sítio não é dele e que pertence a sua esposa, adquirida durante um ex-relacionamento (leia mais AQUI).

Contudo, ao instaurar a ação penal no início de abril, o promotor incluiu inquérito policial, que aponta Rafael como beneficiado no crime.

“Ademais, é dos autos que o imputado RAFAEL contribuiu com a perpetração da conduta ora narrada, fornecendo aos demais denunciados os meios, especificamente, o local, para o preparo e ocultação da substância ilícita supracitada, destacando-se a sua ciência e participação na conduta delitiva, bem como ter sido beneficiado financeiramente com a empreitada criminosa, consoante apontado no relatório n. 08/2021”, diz a ação penal obtida pelo Extra de Rondônia.

Ainda, conforme a denúncia, os envolvidos, agindo dolosamente, de forma livre e consciente, associaram-se para prática do crime de tráfico de drogas. “Restou demonstrada a divisão de tarefas, que evidencia a existência de cooperação e vínculo associativo estabelecido pelos denunciados para a prática do delito supracitado, destacando-se ainda a respectiva estabilidade do ajuste, implicando na reiteração das condutas supramencionadas”, revela.

O parlamentar ainda terá o direito de defender da ação após ser citado para manifestação na justiça.

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO