Polaco confessou que usava o estabelecimento para vender drogas

Nesta sexta-feira, 23, policiais da Rádio Patrulha, receberam informações que num bar localizado na Rua 45, bairro Jardim Eldorado, em Vilhena, havia uma movimentação fora do normal, e que o local poderia estar sendo usado como boca de fumo.

Com isso, a guarnição da Rádio Patrulha passou a monitorar o local e nesta sexta-feira, os militares avistaram um homem de camisa manga longa de cor azul sair do bar e ao avistar a viatura adentrou rapidamente e arremessou algo para dentro de um cômodo atrás do balcão.

Neste momento foi feio incursão e abordado os suspeitos identificados pelas iniciais A.G.R., conhecido como “Polaco” e E.F.D., este dono do bar.

Em revista pessoal foi encontrado nos bolsos de Polaco um aparelho celular e R$ 496,00 em dinheiro.

Em revista pessoal em E., foi localizado um aparelho celular Samsung, R$ 78,00 em dinheiro e um invólucro com substancia aparentado ser maconha pesando 2 gramas.

Os militares encontraram atrás do balcão o pacote dispensado por Polaco, no qual continha uma pedra aparentado ser pasta base de cocaína pesando 10 gramas, e em uma gaveta de um armário um tablete com substancia análoga a maconha pesando aproximadamente 80 gramas.

Indagado, Polaco confessou que estava comercializando drogas no local e que vendia as porções entre R$ 10,00 e R$ 20,00.

Polaco ainda contou aos militares que compra as drogas para revender na cidade de Cerejeiras e que paga R$ 3,5 mil por 200 gramas de crack, e não se lembrava quanto tinha pago pelo meio tablete de maconha.

Diante dos fatos, os envolvidos receberam voz de prisão e foram levados para a Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp), onde a ocorrência foi registrada.

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO