Caixas D’Água Porto Velho/Foto: Reprodução

Neste final de semana a reportagem do Extra de Rondônia produziu estudo informal baseado em dados oficiais acerca da letalidade da pandemia em âmbito mundial, com números divulgados no sábado 24.

A partir das informações oficiais foram feitas tabelas que estabelecem relação entre índices variados e os do Estado de Rondônia e de sua capital, revelando um quadro estarrecedor. Os números comprovam que em Porto Velho morrem-se, proporcionalmente, dez vezes mais pessoas do que no planeta.

A base de dados aponta os seguintes números de mortos até aquele dia: foram 3.105.448 no mundo, sendo 572 mil nos Estados Unidos; 389.000 no Brasil; 5.040 em Rondônia e 2.161 em Porto Velho. Calculando-se o número de mortos pela quantidade de habitantes, chega-se a seguinte média: 1 morto para 2.471 habitantes do planeta; 1 para 573 norte-americanos; 1 para 542 brasileiros; 1 para 345 rondonienses e 1 para 249 porto-velhenses. O resultado não é nada bom para Rondônia e seu povo.

Invertendo a lógica, aplica-se a média porto-velhense para os demais parâmetros. Se no mundo morresse gente de Covid na mesma proporção, o total de óbitos estaria em 30.819.277. Se fosse nos Estados Unidos, teriam morrido 1.318.072, e 847.389 brasileiros estariam enterrados se as mortes no país seguissem o padrão da capital de Rondônia. No Estado, teríamos 6.987.

O estudo, feito à base de simples cálculos matemáticos confirma a gravidade do cenário local com relação à pandemia e quem sabe sua divulgação contribua para que as autoridades estabeleçam medidas mais firmes de enfrentamento da questão.

ESTATÍSTICA COMPARATIVA
sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO