Almir Suruí / Foto: Divulgação

A Assessoria de Comunicação da Polícia Federal em Rondônia confirmou, na tarde de quinta-feira 06, que a instituição pediu o arquivamento do inquérito aberto para investigar o líder indígena rondoniense Almir Suruí. O motivo do procedimento policial seria a suspeita de que ele havia criticado o governo do presidente Jair Bolsonaro.

A PF informou que o inquérito foi relatado pela corporação com sugestão de arquivamento. No entanto essa decisão deve ser tomada pelo juiz, após manifestação do Ministério Público. A PF declarou que o procedimento consta como “relatado com pedido de arquivamento”.

O pedido para que Almir Suruí fosse investigado partiu da Fundação Nacional do Índio (Funai), por uma suspeita de notícia crime de difamação praticada contra o órgão de proteção aos índios, feita por membros da associação Metareilá, do povo Suruí, tendo à frente Almir.

Na semana passada, ele prestou depoimento a PF, após ser intimado, onde declarou que apenas afirmou que o governo de Jair Bolsonaro não atende a questão indígena de forma respeitosa. Almir considerou toda essa situação como uma forma de ameaça por parte do atual Governo Federal.

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO