Fotos: 3º BPM – Divulgação

Na última quarta-feira (26), a Polícia Militar garantiu a segurança da operação para constatação de que os invasores da fazenda Nossa Senhora Aparecida haviam desocupado a área, que fica localizada na região rural de Chupinguaia, Cone Sul do Estado de Rondônia.

Estiveram presentes na operação dois oficiais de justiça, a promotora de justiça Yara Travalon, militares do Corpo de Bombeiros e o efetivo da Polícia Militar designado para realizar a segurança do local.

A equipe caminhou cerca de 4 quilômetros em trilhas no meio da mata fechada, passando por diversos obstáculos naturais, bem como os confeccionados pelos invasores como: pneus, cercas de arame farpado e pontes improvisadas. O local é área de preservação ambiental.

Pelo caminho foi possível identificar diversos materiais explosivos já utilizados (fogos de artifício), pedaços de faixas da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) e placas indicando pontos estratégicos utilizados pelos invasores.

Ao chegar ao local denominado “Acampamento Manoel Ribeiro”, os oficiais de justiça e a promotora puderam observar dezenas de barracos confeccionados com pedaços de madeiras da mata nativa, galhos e lona. Também foi observado que diversas roupas e pequenos objetos foram deixados para trás.

O local possuía diversos pontos de observações – inclusive acima do nível das árvores – além de dezenas de espécies de guaritas espalhadas no entorno do acampamento, mas nenhum membro da LCP foi localizado.

A equipe também realizou vistoria na região do curral, em que foi depredado, incendiado e pichado com dizeres da referida liga, cujo local era utilizado para realizar inseminação artificial no gado pelo proprietário da fazenda invadida.

Ao final da operação, o comandante do 3º BPM, Major PM Thiago; o subcomandante do CRP III, Major PM Araujo; os oficiais de justiça; a promotora de justiça e o comandante do Patrulhamento Tático Móvel, Sargento PM Mizael, realizaram uma reunião com a tropa.

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO