Coluna escrita por Humberto Lago/Foto: Arquivo Extra de Rondônia

A maioria das pessoas não gosta de enfrentar crises porque elas alteram as condições dos mercados, quebram as regras existentes, reduzem o lucro das firmas, trazem pressões de toda ordem e exigem muito dos gestores e empresários. Não lhes tiro a razão.

É possível que nem todos estejam preparados para passar por elas. As crises costumam expor nossas fraquezas e debilidades e bem poucos têm a ousadia de revelá-las aos concorrentes. Muitos são os casos de organizações que saem menores, após a vinda das crises. Por outro lado, a tarefa de reconstruir uma empresa, após a crise, sempre é árdua e demorada.

Gostaria de convidá-lo a pensar, por um momento, nos benefícios das crises. Sim, elas também trazem benefícios. As crises trazem a oportunidade de crescer, de partir para novos negócios, de diversificar seus produtos e serviços.

As crises trazem outro importante benefício: elas depuram o mercado na medida em que eliminam os incompetentes; os que são lentos e inseguros em reagir; os que sabidamente estão despreparados para enfrentar tempos difíceis.

Também durante as crises fica evidenciada a importância da existência de reservas, na atividade econômica. Refiro-me a reservas financeiras e adicionalmente a reservas de mercados, produtos e talentos internos. Sim, todos precisamos ter bem definida uma estratégia para os momentos de crise, bem antes dela surgir. É assim na sua organização?

Não sei você, porém me considero profissionalmente preparado. Creio estar bem informado e acompanho o mundo econômico, através de jornais, revistas técnicas e livros. Aprecio a leitura e a informação com conteúdo. Também disponho de uma experiência de vida a qual me tranquiliza diante das adversidades profissionais. Quanto mais se vive, mais se aprende.

É triste nos depararmos com pessoas não aptas a enfrentar as tempestades da vida. A insegurança traz pânico; os horizontes parecem desaparecer; a esperança e o ânimo evaporam.

Nem todas as organizações são sólidas, do ponto de vista financeiro. Pelo contrário, diversos são os que abusam do endividamento financeiro. Nem todos os empresários tem uma política de negócios bem definida; nem todos colocam a solidez financeira antes da agressividade nas vendas. A crise evidencia a insensatez de alguns.

Concluindo, gostaria de compartilhar, com o amigo leitor, um pensamento que me acompanha há anos, na vida profissional: “Bem vinda a crise porque ela elimina do mercado os incapazes, dá oportunidade aos ousados e valoriza os competentes!” Eu creio nisso!

Ou seja, diga sempre à crise: Seja bem vinda! Há gestores competentes e incapazes; há administradores ousados e medrosos; há posturas agressivas e tímidas. Nas crises, o mercado desafia a todos. Na gestão empresarial, a competência é insubstituível. Procure beneficiar-se das crises, saindo delas maior e mais sólido do que seus competidores. Pense nisso enquanto lhes digo até a semana que vem.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO