Isaú Raimundo da Fonseca (MDB) / Foto: Divulgação

A Câmara de Vereadores de Ji-Paraná protocolou nesta sexta-feira, 11, o pedido de abertura de processo de impeachment contra o prefeito Isaú Raimundo da Fonseca (MDB), acusado de ato de improbidade administrativa por contratar um parente próximo para ocupar cargo de primeiro escalão e tentar ajustar a legislação para que o nomeado pudesse ter requisitos exigidos para exercer a função.

Conforme documento obtido pelo Extra de Rondônia, o pedido foi protocolado por Bruno Scheid, denominado na petição como empresário do Município, e no procedimento foi tomado o cuidado de pedir a suspeição do atual presidente da Câmara Municipal para receber o processo, visto se tratar de ninguém menos do que o filho do prefeito.

Na descrição do fato, o denunciante narra que Isaú nomeou Wellington Dias dos Santos como presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes do município, sendo que este é genro do prefeito, e não teria qualificação escolar para exercer o cargo, posto exigir-se formação em nível superior para tanto.

O denunciante frisa também que o salário da função comissionada é de R$ 9,100 mil, e que o indicado sequer possui algum tipo de experiência na área que o credenciasse para tanto.

Prosseguindo na narrativa, Bruno afirma que para conseguir emplacar o genro no cargo Isaú teria enviado à Câmara de Vereadores projeto de lei que altera as exigências pare ocupação de cargos no Município, substituindo a exigência de formação superior para ensino médio, numa clara tentativa de ajustar as normas para beneficiar o parente.

Diante dos fatos Scheid considera que há elementos que justifiquem a abertura de processo de impeachment, e requer do vice-presidente da Casa de Leis, vereador Marcelo Lemos (PSD), as devidas providências.

 

>>> LEIA, ABAIXO, O PEDIDO DE CASSAÇÃO NA ÍNTEGRA:

empresario contra prefeito de Jipa

 

 

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO