As irmãs Amadalena, Jaquelini, Karini e Carolini, e a mãe Silvana Pereira / Foto: Divulgação

“Ver os alunos concretizarem o sonho de estudar no ensino superior é motivo de muita alegria”.

Com essas palavras, José Moreira Lima, presidente da Associação dos Moradores dos Setores 8 e 9, e coordenador do projeto “Educação Solidária – A Caminho da Universidade”, demonstrou a emoção de ter ajudado mais de 1.000 alunos a ingressarem em instituições educativas públicas e privadas.

Em visita à redação do Extra de Rondônia, Lima disse que o projeto – que está na 18ª edição, e conta atualmente com 55 alunos – ajuda na preparação de pessoas, principalmente adolescentes, de baixa renda, através de cursos para o Enem e vestibulares.

Devido à pandemia, em 2021, o projeto é feito através de aulas remotas tendo a parceria da Escola Estadual Maria Arlete, Conselho Municipal de Direito da Criança e Adolescente (CMDCA) e da Prefeitura de Vilhena. “Historicamente, a média de aprovação em exames para ingresso no ensino superior chega a 40% dos alunos atendidos”, explica.

Lima cita como exemplo de dedicação a família Pereira, já que três das quatro irmãs cursam diversas profissões e uma se prepara no projeto.

Na foto, em destaque, parecem Amadalena (aluna desta 18 edição/2021), Jaquelini (participou do projeto em 2016 e hoje cursa o último ano de Medicina Veterinária), Karini (participou do projeto em 2020 e hoje cursa hoje Biomedicina) e Carolini (participou do projeto em 2017 e hoje cursa o 3º ano de Fisioterapia). Do lado direito está a mãe, Silvana Pereira, que não esconde a emoção e agradece a coordenação do projeto.

Donizete Vasconcelos de Freitas / Foto: Divulgação

Donizete Vasconcelos de Freitas é mais um profissional que se preparou no projeto “Educação Solidária – A Caminho da Universidade”. Ele começou a fazer Licenciatura em Matemática, mas parou para iniciar Engenheira Civil, onde atualmente está no 9º período e concluirá o curso em 2022. “Comprei casa, carro e vivo muito bem hoje em dia. Tudo isso, graças a Deus e as pessoas me que ajudaram”, disse.

José Verissimo de Carvalho, de 50 anos, servidor público municipal (agente administrativo), também conta a

José Verissimo de Carvalho / Foto: Divulgação

experiência e o resultado positivo do projeto em sua vida profissional.

“Estava parado sem estudar de 1993 a 2006. Contudo, meu sonho era fazer um curso superior e isso foi possível com o projeto, indicado por amigos e colegas. Estava desatualizado e só com ajuda dos professores e colaboradores do projeto consegui ingressar na UNIR, através do vestibular no curso de Pedagogia em 2007 e conclui o curso superior. Para mim, o curso superior foi bastante importante, mesmo não atuando na área de Pedagogia, e me estimulou a fazer pós-graduação em gestão em Logística”, explica.

O PROJETO

A iniciativa da entidade conta com a parceria de professores voluntários, com as aulas sendo aplicadas nas instalações da Escola Maria Arlete Toledo. “É um trabalho que engloba muita gente dando suporte, mas é uma satisfação poder oferecer aos alunos uma alternativa de futuro mais positiva, através do ingresso numa universidade”, comentou Lima.

Coordenador do projeto, José Moreira Lima e alunos na formatura da 16ª turma realizada em dezembro de 2019 / Foto: (arquivo)
sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO