Prédio do Centro de Atendimento à Mulher (CAM) em Vilhena / Foto: Bella Cerutti

A redação do Extra de Rondônia conversou com Eline da Silva Bispo, Coordenadora do Centro de Atendimento à Mulher (CAM), órgão responsável pelo acolhimento, atendimento e acompanhamento das vítimas de violência doméstica em Vilhena.

No CAM, elas são encaminhadas para atendimento psicossocial e, posteriormente, será realizado o acompanhamento dessa vítima pelo tempo que for necessário.

Ressalta-se que o foco deste centro é o de prestar atendimento à mulher, independente de ela desejar realizar a denúncia neste momento ou posteriormente.

Eline Bispo, coordenadora do CAM / Foto: Divulgação

De acordo com Eline, o atendimento no CAM auxilia essa mulher que está em situação de violência a se fortalecer, recuperar sua autoestima para estar preparada para realizar a denúncia, bem como para conseguir romper esse vínculo com o seu agressor.

Importante destacar que o Município de Vilhena dispõe de um abrigo da mulher, que acolhe mulheres e filhos, onde receberão todos os cuidados necessários pelo tempo que precisarem para estarem seguras novamente.

Além disso, o CAM atua em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS) que providencia o auxílio às mulheres que necessitam da assistência social do município.

Conta também com o apoio da UNESC, caso a vítima necessite resolver questões como divórcio, guarda dos filhos, pensão alimentícia, dentre outras.

Atua ainda em cooperação com a Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) que é responsável pelo registro do Boletim de Ocorrência, responsabilização criminal do agressor, pedido de prisão e solicitação de medida protetiva, caso a ofendida deseje adotar essas providências.

Também faz parte desta rede a Patrulha “Lei Maria da Penha” que realiza o acompanhamento das vítimas de violência doméstica e o cumprimento das medidas protetivas.

Importante ressaltar que tanto o CAM quanto a UNESC, SEMAS, bem como a DEAM, PM, Secretaria de Saúde, Poder Judiciário, Ministério Público, entre outros órgãos que integram a rede de proteção à mulher atuam de forma totalmente gratuita e sigilosa.

Por outro lado, Eline ressaltou que o CAM está aberto para receber as mulheres que estão em situação de violência doméstica e demais mulheres que gostariam apenas de obter informações sobre os crimes contra a mulher e dirimir eventuais dúvidas, inclusive sobre amigas ou parentes que acreditam estar sendo vítimas de violência psicológica ou física.

Melhores informações serão fornecidas através do telefone (069) 3322-6486.

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO