Henry Bugalho e Marcos Rogério: seguidores questionam parentesco / Montagem: Extra de Rondônia

O filósofo curitibano Henry Bugalho, que mantém um canal no YouTube dedicado a cultura e política, postou há poucos dias um vídeo onde o tema é pesquisa genealógica, onde relata como pesquisou sobre suas origens e meio que orienta seus seguidores a respeito da forma de proceder e da importância de sabermos nossas origens.

Mas, o curioso é o fato que o motivou a fazer a tal pesquisa acerca de seus antepassados: ele quis ter certeza absoluta que não tem parentesco nenhum com o senador rondoniense Marcos Rogério (considerado defensor do presidente Jair Bolsonaro na CPI da Covid), com o qual tem uma certa semelhança.

No vídeo, repassado ao Extra de Rondônia, Bugalho disse que o questionamento surgiu em comentários de quem o segue, que dada a semelhança andaram perguntando se ele era irmão do quase sósia.

“Descobri que as pessoas me odeiam. Desde que começou a CPI, as pessoas me perguntam se sou irmão do Marcos Rogério”, diz o filósofo na produção. “Embora eu seja do Paraná e ele nasceu em Ji-Paraná, em Rondônia, eu tenho certeza que não somos da mesma família”, gracejou.

Henry tem sido um duro crítico do presidente Jair Bolsonaro e regularmente posta vídeos comentando assuntos relacionados a CPI, sendo também bastante duro contra o senador de Rondônia.

Depois da abertura, onde justifica o motivo do estudo de sua árvore genealógica, ele faz uma longa explanação sobre os próprios ancestrais e fecha o conteúdo mais uma vez ironizando Marcos Rogério.

O canal de Henry conta com 650 mil inscritos, e a postagem sobre o senador rondoniense teve, até o final da tarde desta terça-feira 06, mais de 60 mil visualizações.

>>> ASSISTA O VÍDEO ABAIXO:

https://

 

 

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO