Secretário da Saúde, Fernando Máximo/Foto: Reprodução

Uma falsa médica foi presa na última sexta-feira (16) em Porto Velho, após uma fiscalização de rotina realizada pelo Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero).

A mulher foi contratada de forma emergencial pelo Governo e estava trabalhando no Hospital de Campanha da Zona Leste (Cero), na linha de frente de combate a pandemia, na ala semi-intensiva.

O secretário da Saúde, Fernando Máximo, disse durante coletiva que a mulher chegou a receber o salário de um mês. Ela usava o registro de uma médica da Bahia e trabalhava desde o dia 17 de abril até o último dia 18, quando foi descoberta.

Segundo o que já foi apurado, a mulher, que não teve a identidade revelada, cursou a faculdade de Medicina, mas não concluiu o curso e ainda tentou fazer residência médica.

Para conseguir o emprego, a falsa médica apresentou uma declaração de conclusão de curso falsa. No documento constava que ela havia concluído em uma faculdade que nunca estudou e tinha ainda o registro falso do conselho.

Ela foi presa na sexta-feira, já está solta, mas proibida de entrar em hospitais no Estado e nem sair de Rondônia sem autorização.

A acusada vai responder por crimes de estelionato e uso de documento falso, além do exercício ilegal da profissão, que é uma contravenção penal, segundo informou o delegado Swami Otto, do Núcleo de Combate às Defraudações, que apura o caso, juntamente com o Cremero.

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO