Coronel Chrisóstomo / Foto: Extra de Rondônia

Visitou a redação do Extra de Rondônia na tarde da última quarta-feira 28, o deputado federal Coronel Chrisóstomo acompanhado do empresário e ex-vice-prefeito Darci Cerutti para falar sobre os recursos empenhados em todo o Estado e sua relação com o governo.

O deputado destacou que está muito feliz em visitar Vilhena por saber que é um dos principais municípios do Cone Sul. “Tive o privilégio de ser muito bem votado aqui na cidade, por isso me empenho em destinar ainda mais recursos”.

Segundo ele, já direcionou para a cidade “Clima da Amazônia” mais de R$ 6 milhões, somente na saúde foram R$ 3,5 milhões, sendo R$ R$ 1 milhão para construção do Hospital Regional e R$ 1,5 milhão para medicamentos de tratamento da Covid. “Também destinei recursos para atender os profissionais que atuam dentro do hospital, mas é o prefeito que tem de fazer isso. A ação executiva é do Japonês”.

O parlamentar lembrou também que empenhou cerca de R$ 1,5 milhão para o asfaltamento da Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, além de R$ 1,2 milhão para reforma e ampliação do ginásio Jorge Teixeira. “Esse povo merece meu respeito, por isso pretendo colocar ainda mais recursos. Estou apoiando todas as áreas que trazem benefícios a população”.

GOVERNADOR

Coronel Chrisóstomo conta que no período eleitoral fez campanha para o atual governador, isso porque fazia parte de seu grupo partidário, porém, no momento que foi eleito sentiu que Marcos Rocha se afastou dele.

“Durante o mandato, tomei uns três cafés com ele. Nunca me chamou para falar de política. Eu respeitei. Não temos acordo político, e nunca me pediu uma ajuda em Brasília ou para recursos. Mesmo assim deixe R$ 14 milhões para o Estado”, destacou ele.

RECURSOS PARA RO

Dos R$ 14 milhões foi empenhado R$ 4 milhões para segurança pública de Rondônia, R$ 3 milhões para o hospital de Porto Velho que trata das doenças infecciosas, R$ 2 milhões para compra de equipamentos de agricultura, R$ 1 milhão de recursos para regularização fundiária, R$ 1 milhão para realização das cirurgias de catarata em todo o Vale do Jamari, e o restante para concluir o Hospital Regional de Guajará Mirim, porém, segundo o parlamentar o governador não aceitou o recurso e afirmou que não irá concluir a obra.

“Como que alguém recebe recurso e não quer usar, mas certamente ele me vê como adversário. Não entendi até hoje. Se eu fosse um governador do Estado eu ia abraçar e beijar todos os parlamentares federais, pois quem tem recursos fortes para trazer ao Estado são eles”, criticou ele.

De acordo com o deputado, de todo esses anos de mandato, já destinou R$ 114 milhões para Rondônia, sendo dividido para os 52 municípios. “Se o governador tivesse abraçado os parlamentares e cada um destinasse R$ 1 milhão, o governo do Estado teria recursos sem fazer muito esforço, seria bilhões de investimentos. Não foi feito isso e não tem deputados e senadores do lado dele, mas ainda dá tempo”, declarou.

PRESIDÊNCIA DO PSL

Sobre a mudança da gestão do PSL no Estado, Coronel Chrisóstomo pontua que não entende porque a presidência do partido foi dada a um secretário estadual ao invés de um parlamentar federal.

“É provisório, mas não me perguntaram se gostaria de conduzir o partido. Até porque a maior autoridade e de um partido no Estado é o deputado federal. Somos os únicos políticos que trazem recursos para o partido. E aqui o PSL fez diferente, quero saber quem fez e porque essa decisão”.

FUNDÃO PARTIDÁRIO

Coronel Chrisóstomo afirma que voltou contra o aumento do fundo partidário, por entender que R$ 2 bilhões são suficientes para atender a politica dos candidatos nas eleições futuras, e não R$ 5,7 bilhões.  Para ele o valor atual já custeia desde a imprensa ao pessoal de divulgação. “Quem estava presidindo a mesa abriu a votação para os partidos e não individual, nós que fomos contrários ficamos como votos vencidos. Agora o povo acha que somos a favor e não somos”.

BOLSONARO

Em relação a filiação do atual presidente Jair Bolsonaro, o parlamentar enfatiza que ele já esteve próximo a três partidos, mas no momento de fechar os acordos os partidos não entraram em consenso com ele.

“Bolsonaro quer um partido que ele possa controlar e decidir quem será a cabeça de cada lugar. Por esses dias ele deverá escolher seu partido, está em negociação. Há movimentos e rumores que aponte o PP, mas nada foi decidido”.

“DISTRITÃO”

Está tramitando no Senado a votação do “Distritão”, que decidirá o código eleitoral e a reforma política, em que trata de escolher os representantes a partir dos mais votados independente do partido. “Acredito que será aprovado. Sou favorável”.

Para finalizar, o parlamentar afirma que nesse momento de pandemia, Rondônia deve se unir para o crescimento do Estado e purificar a política e as gestões.

Coronel Chrisóstomo e Darci Cerutti / Foto: Extra de Rondônia
sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO