Delegada Fabiana May, titular da DEAM de Cacoal/ Foto: PC

No dia 29 de julho, vídeos das câmeras de segurança de uma conveniência localizada na região central de Cacoal, causaram revolta em nível de Estado, devido mostrarem uma mulher sendo agredida pelo companheiro ao ponto de perder a consciência.

Como já divulgado pelo Extra de Rondônia, as imagens foram divulgadas 4 dias após a agressão e mostram claramente o suspeito nocauteando a companheira após uma discussão no ambiente de trabalho dela. (relembre AQUI)

Poucos dias depois, o agressor divulgou um áudio em grupos de whatsapp pedindo desculpa pela atitude, que segundo ele, também repudia, no em tanto, já é reincidente no crime de agressão. (Relembre AQUI)

Ainda segundo o suspeito, a atitude foi tomada sob o efeito de álcool, após ele ouvir de amigos que a companheira poderia estar cometendo adultério, porém, nada foi comprovado.

Segundo a delegada Fabiana May Brandani, que está cuidando do caso, e falou com a reportagem do Extra de Rondônia, no dia em que houve a agressão, a vítima foi levada para a Delegacia da Polícia Civil e submetida aos procedimentos de praxe e onde ele solicitou medida protetiva.

Ainda de acordo com a delegada, assim que a ocorrência chegou aos cuidados da Delegacia da Mulher, ela já instaurou um inquérito e a justiça concedeu a medida solicitada pela vítima, que até o momento não foi descumprida pelo suspeito.

Fabiana confirmou ainda, que o advogado do agente já esta em contato com o setor de investigação para a apresentação de seu cliente e que pretende concluir o inquérito ainda esta semana, repassando o caso para o Mistério Público

Já com relação à possibilidade de prisão preventiva, a delegada afirmou que ocorre apenas se houver o descumprimento por parte do suspeito das restrições impostas pela justiça ou se houver indícios de que a vítima esteja correndo risco.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO