Jovens fumando / Foto: Ilustrativa

O Brasil criou formas de intervir sobre o uso do tabaco e isso é positivo. Apesar de ter uma queda em números de fumantes, o cigarro ainda é um grande impulsor de doenças que afetam a população brasileira. Dessa maneira, é necessário o debate acerca da atuação da indústria de tabaco, e também da glamorização do uso, sobretudo para a os jovens, a fim de solucionar o problema de maneira eficiente.

A influência das indústrias de produção de tabaco é um impulsor do problema no Brasil, pois mesmo com reduções de uso e proibição de propagandas favoráveis ao consumo, as indústrias articulam meios para a promoção da utilização.

No filme “Obrigado por fumar”, por exemplo, o protagonista Nick Naylor é o porta-voz de uma empresa gigante de cigarros, embora sabendo dos riscos que o cigarro traz à saúde, o trabalho dele é fazer a indústria de tabaco um setor de imagem positiva, para conquistar mais fumantes. Ainda que seja uma obra fictícia, isso é visto na realidade, em que as indústrias produzem tabacos com sabores, ficando cada vez mais atrativo para os jovens.

Da mesma forma, a glamorização da utilização é um impulsor dos níveis de fumantes no país. Consoante com a comunidade “Truth Orange”, muitas pessoas começam a fumar por influência dos personagens dos filmes e seriados que tratam o tabaco como algo de consumo normal, que não traz prejuízo ao bem-estar, assim o telespectador é atraído ao vício, como evidencia o estudo da Associação Brasileira para o Progresso da Ciência, em que diz que cigarro no cinema contribui para jovens começarem a fumar. Nesse viés, entende-se como um problema cuja solução deve ser buscada de imediato.

Portanto, é necessário que a sociedade entenda que o consumo de tabaco é algo prejudicial à saúde. Desse modo, é imprescindível que o Ministério da Saúde, em parceria com as produtoras de obras cinematográficas, aja para a redução e cortes de cenas com o uso de fumo, com o propósito que menos jovens sejam influenciados por essas ações. Para mais, é indispensável que professores de séries iniciais, principalmente, levem o assunto para a sala de aula, esse método é para que os alunos desde pequenos compreendam que o tabagismo é prejudicial à saúde humana, e que se tornem atuantes para um futuro melhor. Por fim, espera-se que com essas atitudes o uso do tabaco e seus derivados seja amenizado no país. 

Edilene da Silva Costa, aluna do 3º ano do curso técnico em agropecuária integrado, Ifro-campus Colorado do Oeste

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO