Vereadora Clérida Alves (Avante) / Foto: Extra de Rondônia

Fazia muito tempo que não se via um ataque tão contundente contra integrante do Poder Executivo disparado da tribuna da Câmara de Vereadores de Vilhena, mas o fato é que na sessão desta terça-feira, 10, a parlamentar Clérida Alves (Avante) usou termos como “mentirosa”, “falsa” e “incompetente” ao referir-se à secretária municipal de Saúde (Semus), Siclinda Rassch.

O discurso que sacudiu o plenário aconteceu quando a vereadora comentou no púlpito requerimento que apesentou com a colega Nica Cabo João (PSC), solicitando informações a respeito da falta de insumos básicos no sistema de saúde municipal, como fraldas, luvas, sonda, álcool em gel e pomadas, para uso de cadeirantes. “O Município recebe verbas para comprar esses produtos. Mas onde está indo parar o dinheiro, secretária?”,  questionou Clérida.

Ela falou que as pessoas estão indo constantemente à Semus e não estão encontrando os produtos, “mas a secretária recebe a verba, então por que não está comprando?”, perguntou a vereadora. Em seguida, Clérida disse que tal conduta é “desumana” e que são “inúmeras” as reclamações.

Mais adiante, a parlamentar declarou que Siclinda colocou fiscal para controlar a frequência dos servidores nas UBS e conferir se estão assinando folhas de ponto. “Tem que ter fiscal para ir conferir o que está faltando para o atendimento à população”, argumentou. “Tá faltando médico, tá faltando material, tá faltando uma série de coisas para atender a população de forma digna”, complementou.

Ela também avalia que faltam condições de trabalho ao funcionalismo a fim de que haja uma prestação de serviços digna à comunidade. Clérida denunciou que enfermeiras que trabalham na vacinação contra a Covid receberam alimentos de má-qualidade, o que classifica como “desrespeito”.

Voltando suas críticas ao Hospital Regional (HR), foi dito também que faltam insumos e material cirúrgico na unidade, o que tem atrapalhado o atendimento do pronto-socorro recentemente terceirizado. “E isso não é culpa da empresa”, destacou, frisando que a secretária não estaria cumprindo suas funções e nem os compromissos assumidos pela pasta com a Medicando, empresa que administra setores do HR.

Cadeirantes marcaram presença na sessão ordinária e receberam apoio de vários vereadores / Foto: Extra de Rondônia

A vereadora garantiu que Vilhena recebeu este ano, através da aprovação da Câmara Municipal, R$ 47 milhões para a saúde, e tal montante de recursos não se transformaram em serviço de qualidade a população, o que em seu ponto de vista desqualifica a gestão de Siclinda.

Encerrando o pronunciamento, ela foi irônica: “Secretária, tira um pouco da maquiagem, diminua os cílios, desça do salto. A população não quer uma modelo desfilando beleza. A população quer atendimento de qualidade”. E finalizou dizendo que Vilhena não merece “uma secretária do seu tipo, incompetente, mentirosa e falsa. Seja humilde, peça pra sair”.

O Extra de Rondônia tentou ouvir a versão de Siclinda, através de aplicativo de mensagem, mas ela não respondeu.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO