Maria Pessoa em visita à redação do site / Foto: Extra de Rondônia

A servidora pública municipal Maria Alves Pessoa, de 64 anos, visitou a redação do Extra de Rondônia no início da tarde desta quinta-feira, 12, para informar e entregar cópia do registrou de Boletim de ocorrência (BO) contra o ex-secretário municipal de saúde (Semus), Afonso Emerick, pelo suposto crime de difamação.

Ela também afirmou que quer mover ação judicial contra a prefeitura para requerer seus direitos trabalhistas.

Garante que se sentiu humilhada, envergonhada, pela declaração proferida pelo ex-titular da Semus, que a chamou de “Maria do Bucho” quando, hoje de manhã, ela foi na prefeitura para requerer seu direito de férias e horas extras referentes ao período em que trabalhou como zeladora no setor de Saúde, que somaria R$ 11 mil. A prefeitura quer pagar R$ 5 mil.

“Toda vez que vou na prefeitura, ficam me empurrando para não pagar e, na situação que estou com a doença, preciso me tratar. Mas, quando cheguei, Afonso estava lá, até com uma camisa verde. Olhou pra mim e disse: ‘essa eu conheço. É a Maria do Bucho’. Eu conheço ele e sua família desde 1986, desde Cerejeiras. Me senti muito ofendida e envergonhada. Foi uma humilhação, pois no momento estavam várias pessoas na sala e eu já estava indo embora. Eu nunca autorizei ele falar desse jeito”, lamenta.

A servidora disse que morou em Cerejeiras e na época vendia bucho de mocotó para tratar de sua família. “Ou seja, ele foi debochar de minha cara por meu trabalho”, observa.

Entrevistado pelo Extra de Rondônia, Emerick disse que “foi apenas uma brincadeira, porque conheço ela desde a época em que morávamos em Cerejeiras e sempre foi chamada dessa forma. Não foi nada pejorativo. E, ao contrário, tenho muito respeito por ela e sua família”.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO