Durante ação monitores acompanharam comportamento de alguns animais / Foto: Divulgação

Em mais uma ação voltada à proteção da biodiversidade, o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) com ações da Coordenadoria de Unidades de Conservação (CUC) realizou, na última semana, o Programa Nacional de Monitoramento da Biodiversidade no Parque Estadual Corumbiara.

O programa possui apoio do Programa de Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), e atualmente é desenvolvido em oito unidades de conservação no Estado de Rondônia.

O Programa Monitora busca garantir visibilidade e aumentar diálogo sobre questões ambientais e proteção das unidades de conservação, com base no compartilhamento de informações que são trazidas pelos pesquisadores, gestores das áreas e das comunidades. Esse modelo de controle da biodiversidade foi criado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Durante as atividades no Parque Estadual de Corumbiara, as equipes trabalharam na coleta de informações sobre os animais silvestres e monitoramento de identificação de animais daquela região, através de vestígios deixados pelos animas na estrada como pegadas; pelos; penas; fezes e vocalizações. Estas informações são utilizadas como dados complementares no monitoramento da biodiversidade das Unidades de Conservação.

Segundo o Biólogo da CUC, Thales Quintão Chagas, um dos principais objetivos das Unidades de Conservação é proteger os recursos naturais que possuem relação direta ou indireta com a unidade. “Monitorar a biodiversidade pertencente a um espaço protegido colabora para a avaliação da efetividade das ações que são desenvolvidas pelas Unidades, além de fornecer dados reais que possibilitam a inferência de aspectos ligados à qualidade ambiental das mesmas”, esclareceu o biólogo.

A ação contou com a participação de analistas e técnicos ambientais da Sedam que atuaram em colaboração com moradores do entorno da unidade, alinhando o conhecimento técnico ao tradicional em busca de obter informações referentes à biodiversidade local.

“O conhecimento comum adquirido das experiências de vida dos mesmos associados ao conhecimento técnico/científico têm sido um dos principais responsáveis pelo êxito do programa. Os moradores são capacitados e exercem a função de monitores, atuando no planejamento e coleta de dados de campo”, afirmou Thales.

As informações coletadas em campo servem de indicativos da situação ambiental local, auxiliam as políticas e ferramentas de gestão da unidade e compõem o banco de dados estadual do programa. Além disso, tais informações ajudam na avaliação da efetividade protetiva da UC em questão.

PARQUE ESTADUAL 

O Parque Estadual Corumbiara, situado no município de Cerejeiras, possui uma área de 384.055 hectares e foi criado em 23 de março de 1990, pelo decreto No 4.576. Em 2002, a Lei 1.171 definiu a alteração de seus limites. Os objetivos da CUC são conservar áreas especiais de encontro dos Biomas Floresta Amazônica, Cerrado e Pantanal; proteger áreas úmidas importantes como refúgios para peixes e anfíbios e para a alimentação, reprodução e descanso de aves palustres; promover a conservação dos ambientes lênticos entre os Rios Mequéns, Verde e Corumbiara.

As ações gerenciais propostas são iniciativas de caráter geral, essenciais para que a visitação ao PEC possa se desenvolver. Referem-se às estratégias de sustentabilidade e ao mecanismo de arrecadação financeira que devem ser concebidos, inicialmente, a fim de gerar recursos para todas as ações necessárias para promover o uso público; à identidade visual do PEC, fundamental para qualquer ação de divulgação; e à utilização da internet para promoção do PEC e região, o que exige baixos investimentos. A Unidade de Conservação é gerida pela Coordenadoria de Unidades de Conservação-CUC/Sedam.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO