Guajará-Mirim / Foto: Divulgação

Auditores Fiscais e Técnicos Tributários de Rondônia que exercem funções de fiscalização no Posto Fiscal de Guajará-Mirim estão recebendo ameaças de morte. O objetivo é intimidar os servidores e obrigá-los a interromper o serviço de fiscalização de mercadorias destinadas à Área de Livre Comércio de Guajará-Mirim (ALCGM).

As ameaças estão sendo feitas através de ligações anônimas à Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O nome de três servidores foram citados na última ameaça feita. Já foi registrado Boletim de Ocorrência e com isso a Polícia passa a investigar o caso.

Nesta quinta-feira, 23, o Secretário de Estado de Finanças, Luis Fernando Pereira da Silva enviou ofício ao CEL PM Alexandre Luís de Freitas Almeida, Comandante Geral da Polícia Militar de Rondônia com o pedido de reforço policial para o trabalho realizado no Posto Fiscal de Guajará-Mirim.

Na segunda-feira 27, Mauro Roberto da Silva, presidente do Sindicato de Auditores Fiscais de Tributos de Rondônia (Sindafisco) e Germano Soares, presidente do Sindicato dos Técnicos Tributários de Rondônia (Sintec) irão até o município de Guajará-Mirim e se reunirão com representantes da Suframa, Auditores Fiscais e Técnicos para buscar soluções para a questão.

“As ameaças foram claramente direcionadas aos servidores do fisco. Então vamos nos reunir para buscar, primeiramente, garantir a segurança desses servidores e depois garantir que o serviço de fiscalização continue. Não podemos nos intimidar”, relatou o presidente do Sindafisco.

“Não é a primeira vez que servidores do fisco sofrem ameaças. O nosso trabalho é essencial para o funcionamento do Estado, mas nunca foi visto com bons olhos por quem é fiscalizado”, reforçou o presidente do Sintec.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO