Foto: Ilustrativa

Visando maior controle do comércio e utilização de agrotóxicos dentro do estado, o Governo de Rondônia, por meio da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), desenvolveu o Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos – Siafro, ferramenta online que, dentre outras funcionalidades, tornará mais ágil e efetivo o acompanhamento do processo de estocagem dos agroquímicos no comércio, além da venda do produto, emissão de receituários agronômicos e recolhimento das embalagens.

“O Siafro é um sistema fornecido gratuitamente, pela Idaron, para ser utilizado nas revendas de agrotóxicos, pelos responsáveis técnicos, produtores, bem como pelo posto de recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos”, explicou Sirley Ávila Queiroz, da Coordenação Estadual de Agrotóxicos. Segundo ele, para esses profissionais, o acesso ao sistema será obrigatório.

Como o sistema ainda está em fase de teste, o acesso, inicialmente, foi liberado para apenas 25 lojas agropecuárias, com foco na comercialização do agrotóxico ao produtor que atua na sojicultura. Para explicar a funcionalidade e vantagens do sistema, técnicos da Idaron participam de reuniões com lojistas, agricultores e demais profissionais ligados ao tema, em todo o Estado. “As reuniões têm como foco a apresentação do Siafro Web e treinamento para utilização do sistema. A iniciativa é realizada em parceria com a Aprosoja, que representa os produtores de soja”, acentuou Sirley Ávila.

COMO SE CADASTRAR

O cadastro no sistema é tão simples quanto a utilização. Para o responsável técnico, basta acessar a plataforma https://forms.gle/Jw9Byjhs6iAK5mZu8. Já o cadastro do produtor rural pode ser feito na unidade local da Idaron mais próxima da propriedade dele ou pelo site do Siafro WEB, que em breve estará disponível. As lojas agropecuárias, balcão e posto de recebimento de embalagens vazias podem realizar o cadastro, como comerciante, na agência Idaron.

A PLATAFORMA

Visando maior controle do comércio e utilização de agrotóxicos dentro do estado, o Governo de Rondônia, por meio da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), desenvolveu o Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos – Siafro, ferramenta online que, dentre outras funcionalidades, tornará mais ágil e efetivo o acompanhamento do processo de estocagem dos agroquímicos no comércio, além da venda do produto, emissão de receituários agronômicos e recolhimento das embalagens.

“O Siafro é um sistema fornecido gratuitamente, pela Idaron, para ser utilizado nas revendas de agrotóxicos, pelos responsáveis técnicos, produtores, bem como pelo posto de recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos”, explicou Sirley Ávila Queiroz, da Coordenação Estadual de Agrotóxicos. Segundo ele, para esses profissionais, o acesso ao sistema será obrigatório.

Como o sistema ainda está em fase de teste, o acesso, inicialmente, foi liberado para apenas 25 lojas agropecuárias, com foco na comercialização do agrotóxico ao produtor que atua na sojicultura. Para explicar a funcionalidade e vantagens do sistema, técnicos da Idaron participam de reuniões com lojistas, agricultores e demais profissionais ligados ao tema, em todo o Estado. “As reuniões têm como foco a apresentação do Siafro Web e treinamento para utilização do sistema. A iniciativa é realizada em parceria com a Aprosoja, que representa os produtores de soja”, acentuou Sirley Ávila.

COMO SE CADASTRAR

O cadastro no sistema é tão simples quanto a utilização. Para o responsável técnico, basta acessar a plataforma https://forms.gle/Jw9Byjhs6iAK5mZu8. Já o cadastro do produtor rural pode ser feito na unidade local da Idaron mais próxima da propriedade dele ou pelo site do Siafro WEB, que em breve estará disponível. As lojas agropecuárias, balcão e posto de recebimento de embalagens vazias podem realizar o cadastro, como comerciante, na agência Idaron.

A plataforma, será disponibilizada no site da Idaron (http://www.idaron.ro.gov.br) e entrará em funcionamento a partir de 1º de outubro, mas apenas com a função de autorização de aquisição de agrotóxicos em outros Estados. “Os demais módulos serão disponibilizados a partir de 1º de janeiro de 2022”.

AGROTÓXICOS

Agrotóxicos são produtos e os agentes de processos físicos, químicos ou biológicos destinados ao uso nos setores de produção, no armazenamento e no beneficiamento dos produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas, nativas ou plantadas e de outros ecossistemas e ambientes urbanos públicos ou privados, na sua limpeza e manutenção, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora e da fauna, a fim de preservá-los da ação danosa de seres vivos considerados nocivos, bem como as substâncias e produtos químicos empregados como desfolhantes, dessecantes, detergentes, sabonetes líquidos, estimulantes e inibidores do crescimento; (LEI FEDERAL Nº 7802/1989).

Esses produtos têm seu uso tanto em atividades agrícolas como não agrícolas. As agrícolas são relacionadas ao setor de produção, seja na limpeza do terreno e preparação do solo, na etapa de acompanhamento da lavoura, no depósito e no beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens e nas florestas plantadas. O uso não agrícola é feito em florestas nativas ou outros ecossistemas, como lagos e açudes, por exemplo.

Como, se mal utilizados, são altamente danosos ao meio ambiente e ao ser humano, há a necessidade da regulação e do controle, tanto da comercialização, quanto da utilização desses produtos. “Por isso a Idaron está sempre reforçando e acompanhando as ações que controlam a utilização dos defensivos agrícolas dentro do Estado, em consonância com as normativas do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento”, justifica Sirley Ávila.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO