Humberto Lago

As pessoas pagam impostos, sejam altos ou baixos, na prosperidade ou na crise, no trabalho ou lazer. Isso é assim em todo o lugar e faz parte dos deveres da cidadania.

Você conhece alguma pessoa que, nos últimos anos, vem pagando impostos em demasia? Esta pode parecer uma pergunta tola, porém não é, como veremos a seguir.

Nas últimas semanas estive acompanhando o planejamento financeiro de um profissional liberal. Examinando suas receitas bem como o detalhamento das principais despesas, percebeu-se que a carga tributária (leia-se imposto de renda) estava muito elevada.

Dentre as opções existentes, uma delas envolvia a possibilidade de criar-se uma empresa prestadora de serviços, uma vez que nela, a incidência de impostos era bem menor. Devido às características do trabalho e ao nível de desembolsos, tudo convergiu para esse objetivo.

Depois de algumas análises e simulações, uma decisão foi tomada. A seguir foram reunidos os documentos para a constituição de uma nova empresa.

Muitas vezes a tributação dos rendimentos da pessoa física é bem superior à tributação da pessoa jurídica (no caso de profissionais liberais). A escolha final do regime de pagamento de impostos, no entanto, pertence exclusivamente às pessoas. Não existe interferência alguma por parte do governo.

É sabido que os profissionais liberais não gostam de estudar e aprender sobre assuntos tributários e contábeis. E eles estão certos, uma vez que seu foco é desenvolver-se e atualizar-se na sua especialização.

Contudo, se tais pessoas não forem consultar e discutir o assunto com pessoas qualificadas (no caso, os contadores) elas poderão tomar decisões incorretas e, consequentemente, estar fazendo o pagamento excessivo de tributos. E cada real pago em demasia, jamais retornará ao seu bolso.

A experiência tem me ensinado que todos os empresários e administradores, conhecem profundamente a carga tributária de suas empresas, tanto no âmbito federal, estadual e municipal. Eles conhecem bem os principais tributos, para diferentes tipos de empreendimentos, como resultado da assessoria de seu contador. Portanto, são conhecedores da incidência tributária, das respectivas alíquotas, da base de cálculo, dos prazos de pagamento, etc.

O simples fato de você ter que pagar mensalmente vários impostos, cria nelas um zelo profissional. Ou seja, estão conscientes da necessidade de ter austeridade nos gastos. Creio eu que há vários profissionais autônomos pagando impostos elevados, sem necessidade. Felizes são aqueles que têm um Deus, que vivem pela fé e trabalho, que são sábios gestores e dispõem da suficiência divina.

Convido-o a dialogar com seus colegas de profissão e com pessoas especializadas na área tributária. Não dissipe seu patrimônio, por ignorância nem por falta de orientação. Há pessoas que podem lhe auxiliar na melhor gestão de seus rendimentos mensais. Pense nisso enquanto lhes digo até a semana que vem.


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO