Um mistério ronda a pacata cidade de Cerejeiras. Até agora são desconhecidos os motivos dos gastos excessivos da biblioteca municipal com água e energia, mesmo o imóvel estando desativado.

O caso resultou em abertura de procedimento do Ministério Público, para investigação contra eventual crime de improbidade administrativa, por lesão aos princípios da Administração Pública e eventual malversação de recursos públicos.

Em 30 de janeiro, o promotor de justiça Victor Ramalho Monfredinho solicitou informações da secretária municipal de educação, Zenilda Terezinha Mendes da Silva. Requereu para, em 10 dias, apresente esclarecimentos sobre qual razão, mesmo desativada, a biblioteca tem sido tarifada com alto valor no consumo de água e energia elétrica.

Solicitou encaminhar todas as contas desde sua desativação, inclusive comprovando providências para ressarcimento e cessação de prejuízo aos cofres públicos com gastos desnecessários.

Na oportunidade, Monfredinho solicitou à secretária encaminhar cópia do processo administrativo n. 3651/2018, apontando sua última localização e eventual cronograma para conclusão da revitalização da biblioteca municipal.

O Extra de Rondônia deixa espaço aos gestores públicos de Cerejeiras para eventuais esclarecimentos.

Mercado Paulista

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO