aftosa

nilo coradiniO servidor público, e morador do município de Colorado do Oeste, Nilo Roberto Coradini, passou mais aperto que a seleção brasileira em campo contra o México, no último dia 17 de junho. Ele contou que sua conta foi invadida e enquanto assistia Neymar e a “tchurma” do Felipão em campo empatar com os “Hermanos del México” a pessoa que clonou seu cartão fazia compras pelo município onde mora.

Nilo contou que se assustou ao receber uma ligação da cooperativa de crédito responsável pela conta, que lhe informou constar movimentações bancárias suspeitas em nome do servidor público. “Na manhã do dia 19 de junho foi feita uma compra pequena em Colorado do Oeste e quase simultaneamente duas outras em Vilhena. O que levantou suspeitas foi que na tarde do mesmo dia uma loja chamada Soyano, que fica em Campinas (SP) registrou uma compra com o meu cartão”, detalhou.

Nilo Coradini contou, ainda, que as pessoas que clonaram seu cartão retiraram extrato bancário, conseguiram fazer um saque com sucesso e outras tentativas frustradas. “É nesta conta que recebo meu salário. A sorte foi que não mexeram no limite do cartão”, conta. A cooperativa de crédito cancelou a conta e a polícia está investigando o caso.

No último dia 24 de maio a agência bancária BASA, de Vilhena, registrou um boletim de ocorrência no qual consta o relato de que homens tentaram instalar equipamentos em um caixa eletrônico da empresa conhecido como “chupa cabra” utilizados para copiar dados dos clientes.

Apesar de nenhum cartão ser efetivamente clonado neste caso em específico, ninguém foi preso. A Polícia Civil tem as imagens do circuito interno de vigilância do banco, e investiga quem possa ter sido o autor (ou autores) do crime.

 

Fonte: Extra de Rondônia

Texto: Da Redação

Foto: Arquivo Pessoal

aftosa 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO