covid19 – 728×90-2

indios 2O abuso praticado pelos índios Nanbiquara na BR 364, imediações de Comodoro, chega às raias do absurdo. Agora, no “pedágio” ilegal que os selvícolas resolveram estabelecer aos que trafegam pela rodovia federal os nativos não estão perdoando sequer os ônibus que trafegam levando pessoas para dentro e fora de Rondônia. Na manhã deste sábado passageiros de uma das maiores empresas de transporte do Estado tiveram que se cotizar para pagar os cinquenta reais exigidos na barreira.

O absurdo revoltou uma moradora de Cerejeiras, que em virtude da falta de iniciativa do motorista do coletivo, que segundo ela queria aguardar a boa vontade dos infratores para liberar a passagem. “Ele disse que a empresa não autorizava este tipo de pagamento, e que havia um acordo com os índios para não ser cobrado o pedágio, mas que teríamos que esperar uma ou duas horas. Por isso resolvi tomar à frente e junto com cerca de mais dez passageiros juntamos o dinheiro para pagar o pedágio”, relatou.

Apesar de contradições, funcionários da empresa de transporte afirmaram que, em caso de cobrança os motoristas estão autorizados a efetuar o pagamento, sendo ressarcidos posteriormente. No entanto, eles disseram que desde o início do protesto dos índios esta foi a primeira vez que a cobrança foi efetuada.

O fato é que nem as empresas e muito menos os passageiros devem arcar com as consequências da inércia das autoridades federais no sentido de coibir a pratica abusiva que está sendo cometida impunemente pelos nativos que agora se consideram donos da rodovia federal.

INDIOS

Fonte: Extra de Rondônia

Foto: Divulgação

sicoob credisul
covid19 – 728×90-1

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO