O projeto visa oferecer capacitação par aa produção dos grãos / Foto: Divulgação

O projeto engloba iniciativas de capacitação para dar acesso as melhores práticas na produção de cafés de qualidade.

O primeiro treinamento com foco em cafés de qualidade ocorreu em março de 2019 no município de Ouro Preto do Oeste para lideranças indígenas que levarão adiante os conhecimentos adquiridos.

A companhia também está investindo na infraestrutura necessária nas aldeias para viabilizar a produção dos cafés almejados.  Além disso, visando a sustentabilidade, o reconhecimento e a valorização, o grupo 3 Corações comprará 100% dos cafés cultivados nas duas terras indígenas.

A compra acontecerá de duas formas, a primeira é por meio do lançamento da 1ª edição do Concurso Tribos, um concurso de cafés de qualidade exclusivo para os povos indígenas em que serão premiados o primeiro, segundo e terceiro lugar. O melhor café será comprado por R$3 mil cada saca e mais R$25 mil de prêmio em dinheiro, o 2º lugar terá a compra das sacas por R$2 mil cada uma e mais R$15 mil em dinheiro e, por fim, o 3º lugar será adquirido por R$1 mil cada saca e R$10 mil de premiação (de acordo com regulamento).

A segunda forma de comprar os cafés será reflexo da qualidade que os povos indígenas atingirem em suas respectivas produções de café. Ou seja, a medida que aumenta a qualidade, aumenta também o prêmio por saca. Os melhores cafés serão comprados pelo dobro do preço da cotação de mercado. Tais iniciativas garantem grande incentivo aos indígenas cafeicultores, uma vez que eles passam a ter não só a garantia de compra de 100% de sua produção, mas também um prêmio que valoriza o trabalho realizado.

Para Pedro Lima, Presidente da Companhia relata que “ao longo dos 60 anos de história do Grupo 3 Corações, buscamos parcerias genuínas e duradouras. Este é um projeto que caminha neste sentido e além disso valoriza a diversidade cultural que existe no Brasil. Como maior empresa de cafés do país com 27% de Market Share, temos responsabilidade de desenvolver a cadeia produtiva do café e este projeto é uma oportunidade única de uma iniciativa sustentável que une riquezas do Brasil e cria valor para todos os envolvidos”.

O projeto conta com importantes parceiros para sua realização, como: Funai, Emater-RO, Embrapa-RO, Secretaria Municipal de Agricultura de Alta Floresta e de Cacoal e Câmara Setorial do Café do Estado de Rondônia.


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO