Caso foi registrado na última sexta-feira / Foto: Ilustrativa

Um caso de estupro no seio familiar foi descoberto em uma escola de Várzea Grande na sexta-feira 10. Uma adolescente de 16 anos teria sido violentada pelo pai, um advogado de 37 anos, dentro de casa.

O caso foi denunciado depois que a menina contou a um amigo o abuso sofrido e este procurou à coordenadora da escola estadual onde os dois estudam. A polícia foi acionada imediatamente.

A coordenadora procurou a aluna vítima do abuso e ela confirmou. Segundo a adolescente, o estupro aconteceu na madrugada do dia 8 de janeiro.

Durante o estupro, o pai manteve a filha com os braços e as pernas amarrados. Ele ainda a ameaçava dizendo: “Você já sabe, né?”.

A adolescente relatou à polícia que estava com marcas nos seios provocadas pelo pai.
Ela disse, ainda, que a dor por ter sido estuprada pelo pai foi tamanha, que ela mesma feriu seus pulsos e braços.

A menina contou que aos 13 anos já havia registrado um boletim de ocorrência contra o pai, porque ele havia tentado passar a mão na perna dela.

O Conselho Tutelar foi acionado, mas afirmou não haver nenhum conselheiro plantonista para acompanhar o registro do caso.

A vítima e a coordenadora da escola foram encaminhadas para a delegacia, onde o caso foi registrado como estupro. O pai, no entanto, não foi encontrado e ainda não foi ouvido.


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO