Estamos em guerra 728×90

Foto: Ilustrativa

Desde a segunda-feira 03, todas as Guias de Transporte de Animais (GTA) emitidas para trânsito de animais susceptíveis a febre aftosa, que estão saindo de Rondônia para outros Estados, estão condicionada à apresentação de nota fiscal. Os criadores de rebanho bovino, bubalino, ovino, caprino e suíno, devem procurar uma unidade da Agência Idaron mais próxima.

O coordenador técnico da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Walter Cartaxo, explica que “a medida foi tomada em razão do processo de suspensão da vacinação contra a febre aftosa. Se Rondônia não mais vacina o rebanho, o Mapa passa a exigir que algumas ações de vigilância sanitária, sobretudo nas áreas de divisas com outros Estados e fronteiras com a Bolívia sejam intensificadas”.

Julio Peres, presidente da Agência Idaron, explica que “o objetivo principal dessa ação, é o controle da movimentação animal, portanto, é de extrema importância que o produtor esteja atento quanto a necessidade de apresentação da nota fiscal junto com a GTA durante as fiscalizações de trânsito realizadas regularmente pela Idaron, em pontos fiscais e barreiras volantes”.

Ainda com relação a essas medidas de maior controle de trânsito animal, “a Idaron vem fazendo regularmente contagem de rebanho e inspeções em propriedades. São ações relevantes em função do pleito que Rondônia tem de obtenção do status de livre de febre aftosa sem vacinação, no sentido de melhorar a vigilância, com ações educativas e de fiscalização”, explica Walter Cartaxo.

Estamos em guerra 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO