Fernando foi morto com vários tiros/Foto: Extra de Rondônia

Fernando Diego Dias de Oliveira, de 30 anos, que tinha como profissão operador de máquinas, foi assassinado com vários tiros, principalmente na cabeça, na noite de sábado, 29, em Cerejeiras. Relembre (AQUI).

De acordo com o boletim de ocorrência, por determinação da Central de Operações da Polícia Militar (PM), uma guarnição foi enviada para a Rua Colômbia, esquina com a Rua Ceará, onde teria ocorrido disparos de arma de fogo e havia um corpo caído na via.

Assim que os militares chegaram ao local, o Corpo de Bombeiros já havia constatado que a vítima estava morta, tratando-se de um crime de assassinato.

No local, a polícia apurou – através de populares que ouviram vários disparos na Rua Colômbia (uma quadra acima de onde o corpo foi localizado) – que o autor do crime estava num veículo VW Voyage, de cor branca.

Dentro do carro haviam três pessoas, que jogararm o cadáver na via e fugiram em alta velocidade tomando rumo ignorado.

RELATO DA ESPOSA DA VÍTIMA

À polícia, a esposa informou que Fernando havia trocado seu carro Voyage por uma Pajero e, posteriormente, trocado a Pajero por um Ford Fusion. O dono da Pajero esteve na manhã de sábado, 29, na casa da vítima para desfazer o negócio, ou seja, devolver o Voyage.

Porém, Fernando não estava em casa e, somente na parte da tarde, teria falado via aplicativo com o suposto autor do crime, que foi até a casa de Fernando acompanhado de mais dois homens.

Ao entregar o Fusion, Fernando teria argumentado que perdeu a chave do carro e, com isso, um guincho foi chamado para transportar o veículo para Vilhena.

Segundo o boletim, o motorista do guincho estava se deslocando para Vilhena, porém, o suposto autor do crime disse que iria lhe acompanhar na estrada para passar a localização onde deixaria o veículo. Todavia, a esposa do suspeito ligou para o motorista do guincho e mandou que ele voltasse para casa de Fernando e deixasse o carro no local, pois seu marido teria tido uma desavença com Fernando.

A polícia apurou, ainda, que após o guincho sair de residência, Fernando saiu dirigindo o veículo Voyage em companhia do dono da Pajero, que havia entrado em acordo e iria pegar o Fusion como forma de pagamento.

Porém, logo após o guincho retornar à casa de Fernando e deixou o Fusion e falou que quem teria lhe contratado ligou para ele e mandou que deixasse o veículo onde teria pego.

A esposa de Fernando declarou que não sabia dos negócios de seu marido, porém, tem ciência de conversas no celular da vítima com o suposto autor do homicídio.

A PERÍCIA

Segundo a perícia, Fernando foi assassinado com vários disparados de arma de fogo, sendo: na região da cabeça, pescoço, boca, queixo e ombro (lado direito), dando a entender que a vítima possivelmente estava na direção do veículo e que quem estava no lado do carona teria efetuado os disparos.

No local do crime, junto ao corpo, havia um aparelho celular e uma arma tipo pistola de Airsoft, ou seja, um simulacro.

Após os trabalhos da Policia Técnico Cientifica (Politec) o corpo foi liberado para funerária “Bom Jesus” fazer a remoção. Informação ainda dá conta que o corpo de Fernando será velado e sepultado em Vilhena.

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Cerejeiras, onde a Polícia Civil segue investigando o crime.

sicoob credisul
vacina 728×90