Foto: Divulgação

Acampamento na frente dos quartéis de Rondônia dão início a possível paralisação geral da Polícia e Bombeiro Militar de Rondônia.

Após o governo anunciar aos quatro cantos do Estado que não tinha mais possibilidade de reajustar o salário da categoria, ou seja, “cumprir com a palavra” que faria o reajuste de 24% nos salário da categoria, começou uma série de mobilizações das esposas de militares em todo o Estado.

Os militares são impedidos de fazer greve, por isso quem toma a frente nos manifestos são as esposas. Lembrando que no passado, especificamente no governo Cassol, houve uma manifestação que durou 11 dias e com esse fechamento dos quartéis as esposas garantiram 23,76% de reajuste, todavia, outra manifestação que culminou na expulsão de um militar foi a paralisação de 14 dias de fechamento de quartéis que resultou em 14,06% com criações e aumento de gratificações, além da criação de horas extras, foi enfrentada no governo Confúcio.

Agora as esposas pedem os 16% de reajuste que falta para completar os 24% prometidos pelo Governador Marcos Rocha à categoria, caso contrário poderá se repetir as paralisações já vistas no passado

Segundo boletim diário nº4 do dia 08.06.2021, a Comissão das Esposas de todo o Estado, serão feitos acampamentos em vários quartéis do Estado de Rondônia.

>>>>>>>>>Clique na imagem para ampliar>>>>>>>>>> 

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO