Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Ronaldo bateu com a moto em uma carreta que estava estacionada
Ronaldo bateu com a moto em uma carreta que estava estacionada na via (ocasião do carnaval de rua em Vilhena)
Estamos em guerra 468×60

Em visita ao Extra de Rondônia Jorge Ribeiro da Silva, pai do jovem Ronaldo Ribeiro da Silva, 29 anos, que sofreu um acidente na Avenida Leopoldo Peres no mês de fevereiro deste ano, detalhou como foi os últimos meses em que seu filho sobreviveu com a ajuda de aparelhos em hospitais públicos.

Ao relembrar o dia de seu acidente o pai se emocionou com as últimas palavras que tinha dito para o filho na noite do acidente: “Não vai sair meu filho, já é tarde, amanhã cedo temos que trabalhar”, lamentou o pai que disse que Ronaldo já havia ingerido bebidas alcoólicas e mesmo assim saiu de moto sem obedecê-lo.

Voltando para casa, Ronaldo bateu numa carreta que estava estacionada em frente uma residência no Bairro São José. Os pais ficaram sabendo da notícia por uma enfermeira, quando a vítima já se encontrava no pronto socorro do Hospital Regional de Vilhena.

O motociclista foi transferido para o Hospital João Paulo II de Porto Velho e após longos meses em estado vegetativo, faleceu na madrugada do dia 27 de dezembro.

Agradecimentos:

O funcionário da Companhia de Águas e Esgotos em Rondônia (Caerd), Jorge Ribeiro da Silva, pai de Ronaldo, agradeceu ao apoio recebido pela diretoria da Caerd, Hospital Regional de Vilhena e João Paulo II.

Jorge que é evangélico, também agradece as orações que seus irmãos em fé fizeram em prol da recuperação de seu filho.

Jorge Ribeiro da Silva pai do motociclista
Jorge Ribeiro da Silva pai do motociclista

 

Fonte: Extra de Rondônia

Texto e Fotos: Matias Siqueira

 

 

 

 

 

 

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO