dengue 728×90 – 2

DSC_0455O Delegado do Conselho Regional de Medicina (CRM), em Vilhena, Rodrigo Galina, bem como o também representante da entidade, Nilton Migiyama, passaram a manhã da última quinta-feira, 21, na sede da Policlínica João Luiz, para um procedimento de praxe após denúncia feita pelo médico oftalmologista, Rafael Albuquerque, e publicada no Extra de Rondônia, que reivindica melhores condições de trabalho.

Ao site,  Migiyama informou que a vistoria foi realizada sob o acompanhamento de um representante do Ministério Público (MP) que já tomou ciência dos fatos.

Caso as denúncias de Albuquerque sejam constatadas pela equipe do conselho, o atendimento oftalmológico na policlínica pode ser interditado temporariamente, até que as irregularidades sejam sanadas. Os membros do CRM têm 15 dias para a conclusão de um relatório sobre a vistoria ao local.

O médico Rafael Albuquerque esteve na redação do Extra de Rondônia, no último dia 18 de março, para falar das condições precárias da policlínica onde presta serviço público. Ele chegou a cogitar interromper temporariamente os serviços por falta de equipamento necessário. Os membros do CRM também vistoriaram as condições físicas deficitárias do posto de saúde, que também será incluída no relatório.

Uma das salas do posto João Luiz
Uma das salas do posto João Luiz

 

http://www.extraderondonia.com.br/2014/03/18/medico-ameaca-deixar-de-atender-pacientes-por-falta-de-condicoes-de-trabalho/

http://www.extraderondonia.com.br/2014/03/19/apos-denuncia-de-medico-autoridades-comprovam-caos-em-posto-de-saude-recem-reformado/

http://www.extraderondonia.com.br/2014/03/20/na-opiniao-de-sindicalista-40-do-caos-na-saude-se-resolveria-com-boa-gestao/

 

Fonte: Extra de Rondônia

Texto: Rômulo Azevedo

Fotos: Rômulo Azevedo

dengue 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO